Para Todos Os Garotos Que Já Amei

Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Livro escolhido para a MML 2018 e para o Diários dos Leitores. Resolvi finalmente ler este livro porque queria assistir o filme na Netflix. E não estava nem um pouco preparada para gostar tanto desse livro.

Acho que exatamente por conta do filme, este livro voltou a bombar e a internet está cheia dos mais variados tipos de resenha. Vou falar do que realmente senti com esse livro e qual foi o diferencial para mim.

Para todos os garotos que já amei não é só um livro de romance adolescente. Ele trata de assuntos interessantes como amizade, família e, obviamente, amor. Mas principalmente ele fala sobre a percepção de si mesmo.

Lara Jean é a filha do meio de uma família de três filhas. É órfã de mãe – que morreu de alguma doença anos antes da história do livro – e que é muito apegada ao pai e às irmãs, não tendo realmente qualquer relacionamento com outras pessoas.

Nossa protagonista é uma adolescente comum, mas que acredita precisar ser igual a sua irmã mais velha para manter a família unida, não criando nenhum plano para si mesma que não seja ocupar o lugar da irmã enquanto esta faz faculdade em outro país.

E é essa jornada que tanto me prendeu na história – claro que a parte do romance é bem explorada e que a escrita da Jenny Han é fantástica e isso ajuda muito -, afinal, até hoje existem questões de personalidade que descubro em mim mesma, pequenos pontos que ainda estão em desenvolvimento e por vezes me sinto perdida ao tentar descobrir quem sou eu.

A personagem principal é muito relacionável. Por vários momentos me senti como Lara Jean, principalmente em relação a uma das melhores cenas do livro – que, é claro, não foi colocada no filme. :/

No geral foi uma leitura tão fantástica, tocante e interessante que não pude desgrudar os olhos do livro. E foi o que me fez comprar o restante da trilogia. Espero que continue sendo essa maravilha até o fim.

4/5 estrelas e pretendo ler o restante ainda esse ano.

Advertisements

O Homem de Giz

Sinopse: Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

Segunda leitura realizada para o Diários dos LeitoresE em algum momento precisarei trazer para discussão se e-book também é livro, se ele não fica na minha estante. SIM minha estante de e-books está crescendo em nível exponencial.

Comecei essa leitura no avião enquanto ia para São Paulo para a Bienal, inclusive cheguei em 58% da leitura em poucas horas, mostrando o quanto essa autora conseguiu escrever uma história fluida e rápida de ler. Meu problema é que entre Kindle e livro físico, acabo priorizando os livros físicos em casa porque, afinal, são eles que ocupam espaço visualmente falando – e tendo “duas estantes” uma para os livros lidos e outra para os não lidos, acreditem, a vontade de colocar todos na estante de lidos é ENORME. Então demorei um pouco mais do que imaginava para concluir essa leitura.

No total devo ter lido esse livro em umas 10 horas, só que como não foram sequenciais, foram algumas semanas entre o início da leitura e o final dela…

Sobre a história…

A autora conseguiu criar personagens humanos, no sentido que todos tinham seus problemas, suas falhas e virtudes. Então cada um deles consegue passar aquela impressão de que não são apenas personagens em uma folha de papel, mas pessoas reais que você conhece. E isso é sempre um ponto positivo em qualquer livro.

Ao mesmo tempo, achei que a forma como a autora criou os problemas e os resolveu foi corrida e o fato de que ela queria amarrar tudo em uma única história foi um tanto quanto… irreal.

E, em particular, achei que o desenvolvimento do personagem principal foi muito errático. Enquanto ela foi criando motivos para torná-lo o que ele era ao final, ela meio que forçou a barra em alguns momentos.

Foi uma leitura muito boa e que me distraiu dos problemas do dia a dia.

3/5 estrelas.

Uma Casa no Fundo de um Lago

Sinopse: O novo livro do autor do best-seller Caixa de Pássaros.
James e Amélia têm dezessete anos. Em comum, além da idade, têm o fato de estarem um a fim do outro e de serem tomados pelo nervosismo quando James chama Amélia para sair. Mas tudo parece perfeito para um primeiro encontro: um passeio de canoa pelos lagos, levando um cooler cheio de sanduíches e cervejas.
À medida que se aprofundam na exploração, os dois chegam a um lago escondido e encontram algo impressionante debaixo d’água. Um lugar perigosamente mágico: uma casa de dois andares com tudo que tem direito — móveis, um jardim, uma piscina e uma porta da frente, que está aberta.
Enquanto, fascinados, vasculham o imóvel e tentam passar uma boa impressão para o outro, cresce o medo. Será que um local misterioso como aquele esconde alguém — ou algo — vivo? Uma coisa é certa: depois de mergulhar nos mistérios da casa no fundo do lago, a vida deles jamais voltará a ser a mesma.

A louca das maratonas ataca novamente!

Tentei participar da Book-Tube-A-Thon 2018, mas adivinhem, falhei miseravelmente… Afinal, o flop é sempre uma possibilidade quando começamos uma maratona, não é mesmo?

Este foi o livro escolhido para o primeiro desafio Flip a Coin – em que a leitura seria escolhida por uma moeda -, e para o segundo desafio Uma leitura com algo que eu gostaria de fazer, como eu disse, canoagem parece algo interessante de se fazer…

Não sei dizer exatamente o que eu esperava desse livro – quase um conto pela quantidade de páginas -, afinal, nunca sei exatamente o que esperar dos livros do tio Josh, só sei que eles têm aquele ar de mistério e suspense que tanto me agrada.

E, ao mesmo tempo que recebi exatamente isso, não foi exatamente o que eu esperava…

Talvez porque eu estivesse com uma expectativa muito imensa para esse livro, já que uma grande quantidade de pessoas que eu sigo no Instagram falaram bem dele. Só achei… meio fraco.

As escolhas e motivações dos personagens principais eram muito superficiais, nada muito profundo – só a casa mesmo. Não sei se a idade dos personagens influenciou nessa minha sensação de que eles eram idiotas, ou se é o próprio fato de que eles resolveram começar a investigar e desejar uma fucking casa no fundo de um lago…

E mesmo assim toda a atmosfera de tensão foi criada pelo tio Josh de uma forma tão maravilhosa que mesmo eu xingando o retardamento mental das personagens, queria saber o que aconteceria em seguida.

Ao final, eu estava tão enfeitiçada pela situação quanto os dois adolescentes…

4/5 estrelas.

PS: E voltamos à programação normal de postagens 3 vezes na semana… Pretendo não abandoná-la tão cedo novamente… ❤

O Labirinto de Fogo

Sinopse: Apolo, o deus mais glorioso e belo que já existiu, causou a ira de Zeus e foi expulso do Olimpo. Ele foi parar na terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em Nova York. Agora, ele é Lester Papadopoulos, um mortal desajeitado e sem poderes divinos. Para reconquistar seu lugar ao lado do todo-poderoso, Apolo terá que libertar cinco oráculos desaparecidos.
Com a ajuda de alguns amigos semideuses, como Percy Jackson, Leo Valdez e a desbocada Meg McCaffrey, Apolo conseguiu sobreviver às duas primeiras provações de sua temporada terrena. Agora, ele vai ter que enfrentar mais um componente do triunvirato do mal formado por antigos imperadores romanos e deve descer até o Labirinto de Dédalo para impedir que o terceiro imperador destrua o próximo oráculo da lista.

No começo deste mês aconteceu a Fantastona, uma maratona para ler livros de fantasia. Este ano, segundo volume da maratona, os desafios foram escolhidos pelos organizadores.

Para o desafio do Gabe – uma fantasia com um grupo de amigos – escolhi o livro O Labirinto de Fogo.

Aqui continuamos a aventura de Apolo e sua busca para voltar a ser um deus. As desventuras de Apolo e Meg, agora acompanhados por Grover, acabam os levando a se encontrar com Piper e Jason.

Adorei reencontrar com meus meninos de Heróis do Olimpo, mas devo dizer que este terceiro livro d’As Provações de Apolo me deixou triste.

Não gosto do Apolo e, talvez por isso, não consegui me conectar com esse livro. Muitas coisas acontecem, aquelas clássicas cenas de quase morte e problemas insanos, e eu não conseguia me importar.

Tudo bem que eu estava saindo de uma ressaca literária e que isso pode ter influenciado.

Foi uma leitura fácil, como sempre, gostosa de ler, mas não o suficiente pra me conquistar.

3/5 estrelas e pensando em talvez parar por aqui.

Temporada de Acidentes

Sinopse: Guardem as facas, protejam as quinas dos móveis, não mexam com fogo.
A temporada de acidentes vai começar.
Acontece todo ano, na mesma época. Todo mês de outubro, inexplicavelmente, Cara e sua família se tornam vulneráveis a acidentes. Algumas vezes, são apenas cortes e arranhões. Em outras, acontecem coisas horríveis, como quando o pai e o tio dela morreram. A temporada de acidentes é um medo e uma obsessão. Faz parte da vida de Cara desde que ela se entende por gente. E esta promete ser uma das piores.
No meio de tudo, ainda há segredos de família e verdades dolorosas, que Cara está prestes a descobrir. Neste outubro, ela vai se apaixonar perdidamente e mergulhar fundo na origem sombria da temporada de acidentes. Por que, afinal, sua família foi amaldiçoada? E por que não conseguem se livrar desse mal?
Uma narrativa sombria, melancólica e intensa sobre uma família que precisa lidar com seus segredos e medos antes que eles a destruam.

Este livro sempre me chamou a atenção por dois motivos: adoro essa capa e fiquei muito curiosa em relação a essa sinopse. Queria entender que traços de magia eram esses que transformavam a vida de uma família um inferno durante um mês.

E, como era de se esperar, o livro não era exatamente sobre isso, não é mesmo?

Ah, sim. Todo mês de outubro a família Morris passa por mais acidentes do que o restante do universo, mas os traços de magia eram, bem, inexistentes.

A narradora do livro é a filha mais nova, Cara, e desde o início é demonstrado que ela não tem um dos melhores controles sobre a sua imaginação excessivamente fértil. Muitas vezes a realidade era permeada por toques de devaneio da Cara, então a narração não era de todo confiável.

E mesmo assim, o livro tem uma sensibilidade tocante para tratar de temas bem tensos. Relacionamento abusivo, abuso sexual, homoafetividade… tudo isso é narrado de forma bem simples e a dissociação da Cara com a realidade ajuda a dar um tom mais leve ao livro.

Foi um livro bem interessante, mas esperava um pouco mais dele. As primeiras 50 páginas são um pouco maçantes, entretanto, também estava com dificuldade para ler qualquer coisa nessa semana que se passou por problemas no meu trabalho, então não posso dizer que a culpa seja somente do livro… q

4/5 estrelas.

E feliz dia das mães para todas as mamães- de gente e de bichinho – que me seguem! ❤️

Garota Exemplar

IMG_20180422_125157_187

Sinopse: Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo – o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza –, “Garota Exemplar” alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública – e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy –, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?

Este foi o segundo livro do projeto The Living Book Jar que estou participando com o Rique – ele me diz qual livro vou ler no mês e eu não tenho direito de trocar ou não ler o livro. Sem pressão.

Também é um dos livros favoritos da Nath e que ela disse que se eu não gostasse dele teríamos que reavaliar a nossa amizade. SEM PRESSÃO.

Para minha sorte, o livro é muito interessante e bem construído. Com uma premissa fantástica e uma narrativa que varia pontos de vista e que acaba não nos permitindo algum nível de confiança com os narradores.

Conhecemos Amy, uma garota rica, bem de vida e que é inspiração para livros infantis, e Nick, um típico americano que subiu na vida através do seu trabalho duro e sua bela aparência. Eles se conhecem, se apaixonam e se casam. Passam por dificuldades financeiras, tragédias familiares e acabam se mudando de Nova Iorque para o Missouri. Tanto Nick quanto Amy precisam se adaptar à nova realidade, aos problemas que precisam superar, ao relacionamento deles.

Como eu disse, a narrativa intercalada serve para nos mostrar o que cada um dos personagens estava pensando durante o desenrolar daqueles fatos, mostrando a realidade como cada um deles a enxerga. O que os tornam narradores nem um pouco confiáveis.

Tudo o que ia acontecendo na história era perceptível que tinha mais de um ponto de vista. O sumiço de Amy é todo envolto em pontos estranhos, a narrativa é tão intensa e de certa forma macabra que, mesmo demorando alguns capítulos para realmente entrar na história, me envolveu que não queria deixar o livro de lado.

Com certeza quero conhecer os outros livros da senhorita Gillian, gostei muito do seu estilo de narrativa e se tornou um dos meus livros favoritos.

4,5/5 estrelas e favoritado.

Simon vs a Agenda Homo Sapiens

IMG_20180304_212302_344

Sinopse: Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.
Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.

Simon versus a Agenda Homo sapiens é um livro que me ganhou pela capa. Já o queria ler tem bastante tempo, então devo agradecer ao meu primo por também gostar de ler o livro antes de assistir ao filme e me emprestar o livro. ❤

Este livro entrou numa hype ainda maior por agora, já que o filme estreiou tem pouco tempo, mas tomei todo o cuidado do mundo para não subir no trenzinho para não estragar a minha experiência de leitura.

Precisei me lembrar em alguns momentos que o Simon era um adolescente e que adolescentes também possuem necessidades básicas de vida. Praticamente todos os livros que li nos últimos tempos têm esse denominador comum chamado tesão.

A escrita da Becky é maravilhosa e ela com certeza me ganhou na ironia do Simon e nas referências à cultura geek. Só não consigo concordar com o cachorro se chamar Bieber… q

Terminei sentindo que o Simon era meu amigo, então posso dizer que o livro foi um sucesso! As três horas e meia que gastei lendo esse livro também confirmam essa hipótese.

Agora só falta comprar o livro!

4/5 estrelas.