O Homem de Giz

Sinopse: Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

Segunda leitura realizada para o Diários dos LeitoresE em algum momento precisarei trazer para discussão se e-book também é livro, se ele não fica na minha estante. SIM minha estante de e-books está crescendo em nível exponencial.

Comecei essa leitura no avião enquanto ia para São Paulo para a Bienal, inclusive cheguei em 58% da leitura em poucas horas, mostrando o quanto essa autora conseguiu escrever uma história fluida e rápida de ler. Meu problema é que entre Kindle e livro físico, acabo priorizando os livros físicos em casa porque, afinal, são eles que ocupam espaço visualmente falando – e tendo “duas estantes” uma para os livros lidos e outra para os não lidos, acreditem, a vontade de colocar todos na estante de lidos é ENORME. Então demorei um pouco mais do que imaginava para concluir essa leitura.

No total devo ter lido esse livro em umas 10 horas, só que como não foram sequenciais, foram algumas semanas entre o início da leitura e o final dela…

Sobre a história…

A autora conseguiu criar personagens humanos, no sentido que todos tinham seus problemas, suas falhas e virtudes. Então cada um deles consegue passar aquela impressão de que não são apenas personagens em uma folha de papel, mas pessoas reais que você conhece. E isso é sempre um ponto positivo em qualquer livro.

Ao mesmo tempo, achei que a forma como a autora criou os problemas e os resolveu foi corrida e o fato de que ela queria amarrar tudo em uma única história foi um tanto quanto… irreal.

E, em particular, achei que o desenvolvimento do personagem principal foi muito errático. Enquanto ela foi criando motivos para torná-lo o que ele era ao final, ela meio que forçou a barra em alguns momentos.

Foi uma leitura muito boa e que me distraiu dos problemas do dia a dia.

3/5 estrelas.

Advertisements

Strange the Dreamer

Sinopse: A new epic fantasy by National Book Award finalist and New York Times bestselling author Laini Taylor of the Daughter of Smoke & Bone trilogy.
The dream chooses the dreamer, not the other way around–and Lazlo Strange, war orphan and junior librarian, has always feared that his dream chose poorly. Since he was five years old he’s been obsessed with the mythic lost city of Weep, but it would take someone bolder than he to cross half the world in search of it. Then a stunning opportunity presents itself, in the person of a hero called the Godslayer and a band of legendary warriors, and he has to seize his chance to lose his dream forever.
What happened in Weep two hundred years ago to cut it off from the rest of the world? What exactly did the Godslayer slay that went by the name of god? And what is the mysterious problem he now seeks help in solving?
The answers await in Weep, but so do more mysteries–including the blue-skinned goddess who appears in Lazlo’s dreams. How did he dream her before he knew she existed? and if all the gods are dead, why does she seem so real?
In this sweeping and breathtaking new novel by National Book Award finalist Laini Taylor, author of the New York Times bestselling Daughter of Smoke & Bone trilogy, the shadow of the past is as real as the ghosts who haunt the citadel of murdered gods. Fall into a mythical world of dread and wonder, moths and nightmares, love and carnage.
Welcome to Weep.

Uma coisa que todo leitor sofre é com o tamanho ENORME da pilha de livros para ler que aparentemente só cresce e não importa o quanto a gente leia, ela NUNCA diminui. Será que somos todos compradores compulsivos de livros? Eu sei que eu sou…

Na minha última contagem – no início desse ano – cheguei a um número absurdo de quase 200 livros não lidos – entre livros meus, dos meus pais e do meu irmão. Prometi que não ia comprar mais livros por um tempo e logo, para mostrar o quanto eu falava sério, assinei a Owlcrate, a LitJoy e o Turista Literário. Como podem ver, eu REALMENTE cumpro com as minhas propostas…

Minha TBR Book Jar está juntando poeira, o projeto do Rique – Living Book Jar também está parado – inclusive eu desisti e doei um dos livros que eu tinha selecionado para ler. Entretanto eu não vou desistir de conseguir diminuir a minha pilha de livros.

Tudo isso para dizer que estou em um grupo de leitura – que já me ajudou muito a ler no final de agosto – com a proposta de diminuir a pilha dos não lidos! É o Diários dos Leitores, criado pela Naara do insta Diários de Leitora. O primeiro desafio foi ler um livro antigo na estante de um autor que nunca leu.

Para este desafio escolhi em primeiro lugar o livro Strange the Dreamer da Laini Taylor.

Foi uma leitura um pouco mais arrastada que o normal, mas nem por isso uma leitura ruim. Acho que o problema é que me desacostumei a ler livros de fantasia que trazem mundos completamente novos, com sistemas de magia completamente novos. Então demorei um pouco para conseguir entender como é que esse universo de Strange the Dreamer funcionava. Até porque os vários narradores traziam outras nuances que, muitas vezes, acabavam mais atrapalhando – ou seja, aumentando a quantidade absurda de informações novas – do que realmente ajudando.

Mesmo assim, essa foi uma leitura muito divertida, porque ver a forma que o Strange lida com o mundo ao seu redor é simplesmente mágica, afinal ele é um sonhador, um órfão que poderia não ter nada ao seu alcance, mas que com um golpe de sorte se vê perseguindo o seu maior sonho. O universo em que ele se encontra é mais cheio de magia do que inicialmente é apresentado e os conflitos em decorrência dessa magia são muito bem apresentados.

Cada personagem traz consigo uma bagagem emocional que inicialmente não imaginamos. Até mesmo o personagem apresentado como embuste traz suas motivações de uma forma tão natural e realista que eu mal podia acreditar.

Já estou ansiosa pela continuação que sai agora em outubro.

4/5 estrelas e favoritado!

A Louca dos Gatos

Sinopse: A terceira coletânea da cartunista Sarah Andersen traz novas tiras que retratam os desafios de ser um jovem adulto num mundo cada vez mais instável.
Os quadrinhos de Sarah Andersen são para todos que precisam lidar com níveis de ansiedade cada vez mais alarmantes, que sentem que o mundo está à beira do colapso e que se esforçam para sair ao menos um centimetrozinho da zona de conforto. Ou seja, é basicamente um manual de sobrevivência para os dias de hoje.
Além de suas tirinhas sagazes e encantadoras, a autora, que já reuniu mais de 2 milhões de fãs no Facebook, traz também ensaios ilustrados com dicas para os artistas aspirantes aprenderem a lidar com críticas, ignorarem os trolls na internet e não desistirem de mostrar seu trabalho.

Presente-pagamento que ganhei da minha amiga Nath por nossos mil e um empréstimos para compras das mais diversas que fazemos. Se já nos pagamos tudo? Não faço ideia, mas estamos aí, sempre pagando uma a outra com livros e outros mimos… Fogo vivo ❤

Sempre quis ler algum desses quadrinhos super fofos da tia Sarah, só que nunca realmente me atentei para comprar as coletâneas, então… é, eu sofro com essa “perda de memória” assim mesmo. Ao mesmo tempo que estou louca para comprar uma coisa, compro outra.

Foi uma leitura fantástica, super rápida e fluida. Me reconheci mais do que achei ser possível nos quadrinhos e com certeza quero o restante da coleção! O mais engraçado das tirinhas é a forma irreverente que a autora usa para tratar de assuntos sérios. Ai, ai… Adorei!

Essa é mais uma das autoras autobuy da minha vida… ❤

4/5 estrelas e favoritado.

A Grande Rainha

Hoje sem sinopse, porque o Skoob não tem sinopse do livro… q

Esse foi o último livro que li antes de ir pra Bienal do Livro em São Paulo e meudeusdocéu que livro chato.

Eu sou apaixonada pela lenda Arturiana e realmente gosto de acompanhar as diferentes formas em que ela narrada – comecei a assistir Merlin na Netflix e estou amando! -, mas percebi com uma dorzinha no coração que o Arthur é sempre idiota em todas as narrativas.

No sentido de que ele faz muitas escolhas erradas. Todas as escolhas erradas, na verdade. E é por conta dessas escolhas erradas que ele acaba se ferrando com muita força durante seu caminho para se tornar um grande rei e unificar e pacificar as terras da Inglaterra.

Particularmente nesse livro, o maior erro dele está em Guinevere.

Tudo o que essa personagem em especial faz é reclamar da vida, das promessas feitas por Artur para se tornar grande rei – respeitar tanto os druidas e Avalon e a Igreja -, e desejar o Lancelote.

Lancelote é outro personagem um tanto quanto intragável, mas é mais aceitável que a Guinevere.

Guinevere, como cristã, resolve que tudo o que Artur prometeu não deve ser levado a sério e que ele precisa abdicar dos antigos costumes druídicos de Avalon para tornar a Inglaterra em um reino temente ao verdadeiro deus. E que é por conta dessas promessas que ele não consegue vencer os vikings.

Demorei muito tempo lendo esse livro simplesmente porque era a Guinevere aparecer e me dava um verdadeiro ranço da história e nem queria continuar. Só espero que nos próximos livros as coisas fiquem melhores… E que a Guinevere tenha uma morte horrível.

2,5 estrelas.

Artemis Fowl: A Vingança de Opala

Sinopse: Artemis Fowl está de volta! Sem lembrar de nada sobre o Povo das Fadas, ele se vê às voltas com o diabólico plano de vingança de Opala Koboi. Para piorar, a capitã Holly torna-se fugitiva da LEP, depois de cair em uma arapuca. Só os dois, com a ajuda de Butler e Palha, podem impedir que Opala destrua o mundo das Fadas e dos Homens da Lama. Dessa vez, Ártemis está diante de uma adversária tão esperta quanto ele. Será um plano genial será suficiente para salvá-los?

Livro escolhido para o quinto desafio da Book-Tube-A-Thon: Ler um livro enquanto usa um chapéu durante toda a leitura do livro. Como já disse, dos 7 desafios da Book-Tube-A-Thon, só consegui fazer os dois primeiros desafios porque o mesmo livro foi utilizado nos dois…

Mas enfim…

Mesmo não tendo conseguido concluir o desafio no tempo adequado, fiz questão de terminar a leitura de Artemis Fowl: A Vingança de Opala enquanto usava meu chapéu oficial do Chapeleiro Maluco. Nem preciso dizer que meus pais acharam que eu estava louca enquanto usava o chapéu, não é mesmo?

A releitura de Artemis Fowl está sendo uma experiência agridoce. Eu continuo amando todos os livros, porém agora estou mais chata exigente com o que leio, então acabo esperando mais dos livros. O que significa que, por mais que continue amando esse universo e essas personagens, não consigo deixar de notar aquelas falhas na narrativa.

Ainda assim, o livro foi muito divertido e sigo gostando da forma como o Artemis e amigos conseguem resolver seus problemas.

4/5 estrelas e favoritado.

Corte de Névoa e Fúria

Sinopse: O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da série Trono de vidro Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.

Eu tenho sérios problemas com esse livro e com essa autora, obviamente.

Certo, eu consigo entender que a Feyre passou por momentos muito complicados ao final do primeiro livro, mas as coisas que acontecem nesse livro, mesmo sendo bem construídas, não condizem com a personalidade dos personagens do primeiro livro…

Sim, eu já aceitei que o meu ship afundou lindamente e de forma alguma estou aqui defendendo um relacionamento abusivo, mas a forma como a autora desenvolveu esses fatos na sua história só provam que ela não sabia exatamente o que queria escrever. Porque, ao meu ver, tudo o que ela fez de alteração na descrição física dos personagens e em suas personalidades foi só para dar aos seus leitores o que eles queriam…

E isso me deixa muito triste, porque eu realmente gostei do primeiro livro e esperava que o segundo livro fosse tão gostoso quanto de se ler, mas passei a maior parte do tempo irritada com as repetições infinitas e incessantes da Feyre, da forma como seu relacionamento com Tamlin e com Rhysand foram descritos e na forma como a história não tem sentido. Ou desenvolvimento. Ou sequer muita importância.

Em resumo: livros de romance não são pra mim. Hahahahaha.

3,5 estrelas.

Só espero que o próximo livro venha acompanhado de uma conclusão decente e que não seja uma enrolação sem fim…

Uma Casa no Fundo de um Lago

Sinopse: O novo livro do autor do best-seller Caixa de Pássaros.
James e Amélia têm dezessete anos. Em comum, além da idade, têm o fato de estarem um a fim do outro e de serem tomados pelo nervosismo quando James chama Amélia para sair. Mas tudo parece perfeito para um primeiro encontro: um passeio de canoa pelos lagos, levando um cooler cheio de sanduíches e cervejas.
À medida que se aprofundam na exploração, os dois chegam a um lago escondido e encontram algo impressionante debaixo d’água. Um lugar perigosamente mágico: uma casa de dois andares com tudo que tem direito — móveis, um jardim, uma piscina e uma porta da frente, que está aberta.
Enquanto, fascinados, vasculham o imóvel e tentam passar uma boa impressão para o outro, cresce o medo. Será que um local misterioso como aquele esconde alguém — ou algo — vivo? Uma coisa é certa: depois de mergulhar nos mistérios da casa no fundo do lago, a vida deles jamais voltará a ser a mesma.

A louca das maratonas ataca novamente!

Tentei participar da Book-Tube-A-Thon 2018, mas adivinhem, falhei miseravelmente… Afinal, o flop é sempre uma possibilidade quando começamos uma maratona, não é mesmo?

Este foi o livro escolhido para o primeiro desafio Flip a Coin – em que a leitura seria escolhida por uma moeda -, e para o segundo desafio Uma leitura com algo que eu gostaria de fazer, como eu disse, canoagem parece algo interessante de se fazer…

Não sei dizer exatamente o que eu esperava desse livro – quase um conto pela quantidade de páginas -, afinal, nunca sei exatamente o que esperar dos livros do tio Josh, só sei que eles têm aquele ar de mistério e suspense que tanto me agrada.

E, ao mesmo tempo que recebi exatamente isso, não foi exatamente o que eu esperava…

Talvez porque eu estivesse com uma expectativa muito imensa para esse livro, já que uma grande quantidade de pessoas que eu sigo no Instagram falaram bem dele. Só achei… meio fraco.

As escolhas e motivações dos personagens principais eram muito superficiais, nada muito profundo – só a casa mesmo. Não sei se a idade dos personagens influenciou nessa minha sensação de que eles eram idiotas, ou se é o próprio fato de que eles resolveram começar a investigar e desejar uma fucking casa no fundo de um lago…

E mesmo assim toda a atmosfera de tensão foi criada pelo tio Josh de uma forma tão maravilhosa que mesmo eu xingando o retardamento mental das personagens, queria saber o que aconteceria em seguida.

Ao final, eu estava tão enfeitiçada pela situação quanto os dois adolescentes…

4/5 estrelas.

PS: E voltamos à programação normal de postagens 3 vezes na semana… Pretendo não abandoná-la tão cedo novamente… ❤