Grey’s Anatomy

Grey's_Anatomy_Season_Three_DVD_Cover

Sinopse: Grey’s Anatomy é um drama médico norte-americano . O folhetim é protagonizado Dra. Meredith Grey, residente do fictício hospital cirúrgico Seattle Grace, em Seattle, Washington, o mais rígido programa cirúrgico de Harvard. A série é focada nela e seus colegas, também internos: Cristina, Izzie, George e Alex, mostrando suas vidas amorosas e as dificuldades pelas quais passam no trabalho.A terceira temporada de Grey’s Anatomy é estremamente explosiva. É marcada pela morte de Denny, as dificuldades de Preston (Isaiah Washington) e Yang (Sandra OH) pós-cirúrgia, a doença do pai de George (T.R. Knight) e as dificuldades de relacionamento de Derek (Patrick Dempsey).

Eu sei que não faz o menor sentido eu fazer essa postagem hoje, mas acreditem, eu preciso desabafar.

Primeiro, a Nath me convence de assistir Grey’s Anatomy, diz que eu vou sofrer horrores com o season finale da quinta temporada e eu acabo empolgando com minha mãe nas maratonas da porcaria do seriado. Virou nosso ritual: todo dia quando chegamos em casa do escritório, assistimos uns 4~5 episódios de Grey’s.

Segundo, tem essa season finale em que tudo parece que finalmente vai se organizar e TODO MUNDO CAGA EM TUDO! MEU DEUS DO CÉU! COMO PODE UM GRUPO DE AMIGOS CAGAR TANTO ASSIM NA PRÓPRIA VIDA!

Terceiro, acho que esgotei a minha cota de drama do mês.

Grey’s Anatomy não é um seriado médico. É um drama. Um grande drama absurdo, com uma personagem principal insossa, mas que tem personagens secundários fantásticos! Eu amo a Cristina, a Callie e o Mark. Bailey é a melhor personagem do seriado inteiro, com certeza. Só que é um seriado que me sugou.

Não é o meu estilo de seriado, porque mesmo que as partes médicas não estejam assim 100% erradas, mas tem muita coisa que me irrita nas partes médicas. E o drama, god o drama. É muito drama.

season finale não foi um cliffhanger tão grande assim que tenha me feito ansiar pela próxima temporada, foi fraco, na verdade. E como as coisas meio que voltaram ao começo do seriado, me cansei um pouco da repetição.

Essa não é minha opinião final sobre o seriado, afinal, temos mais 11 temporadas para eu sofrer.

Ainda não é um seriado que eu considero bom, como praticamente todo mundo que assiste considera, mas também não é de todo ruim.

Então… Obrigada(?), Nath.

A Profecia das Sombras

A Profecia das Sombras

Sinopse: Não basta ter perdido os poderes divinos e ter sido enviado para a terra na forma de um adolescente espinhento, rechonchudo e desajeitado. Não basta ter sido humilhado e ter virado servo de uma semideusa maltrapilha e desbocada. Nããão. Para voltar ao Olimpo, Apolo terá que passar por algumas provações. A primeira já foi: livrar o oráculo do Bosque de Dodona das garras de Nero, um dos membros do triunvirato do mal que planeja destruir todos os oráculos existentes para controlar o futuro.

Em sua mais nova missão, o ex-deus do Sol, da música, da poesia e da paquera precisa localizar e libertar o próximo oráculo da lista: uma caverna assustadora que pode ajudar Apolo a recuperar sua divindade — isso se não matá-lo ou deixá-lo completamente louco.

Para piorar ainda mais a história, entra em cena um imperador romano fascinado por espetáculos cruéis e sanguinários, um vilão que até Nero teme e que Apolo conhece muito bem. Bem demais.

Nessa nova aventura eletrizante, hilária e recheada de péssimos haicais, o ex-imortal contará com a ajuda de Leo Valdez e de alguns aliados inesperados — alguns velhos conhecidos, outros nem tanto, mas todos com a mesma certeza: é impossível não amar Apolo.

Novamente o tio Rick conseguiu. Acabei lendo o livro em dois dias, porque eu simplesmente não conseguia largar o livro quieto. E olha que Apolo nem é meu deus favorito do panteão…

E eu vi a dica que o tio Rick deixou em seu personagem Jamie, nice way to segway em outro panteão, tio Rick. Posso estar enganada, mas ACHO que esse panteão da mitologia africana não será escrito pelo Riordan, mas sim por um@ d@s autor@s que ele está “patrocinando”… Não lembro direito, só acho que tem algo a ver com deixar outros autores que tenham mais conhecimento sobre a mitologia escrever sobre. Ele fez uma postagem no Goodreads algum tempo atrás falando sobre isso…

Anywho!

Apolo mais uma vez se ferra bastante em seu livro. Devo dizer que tiveram alguns – poucos – momentos que senti pena dele. Só que na realidade, como sentir pena de Apolo quando temos Leo Valdez e Calipso? E tantos outros personagens de Percy Jackson aparecem! Genial…

Sim, estou me cansando um pouco de tantas sagas, entretanto, eu amo tanto, mas tanto esses personagens e esse universo. Eu quase gritei quando o Leo disse que ia visitar a Hazel e o Frank ❤ Digam o que quiserem, PJO e seus derivados têm as melhores amizades de livros do universo. ❤

De qualquer forma, o que eu gostei nesse livro é que, depois que Apolo perdeu seus poderes e se tornou um semideus completamente mortal, ele vem aprendendo um pouco sobre o quanto os mortais são mais do que meros peões. Ele está se tornando, bem, humano.

Foi um livro divertido e que eu gostei muito e como eu me reconheci em Apolo reclamando de ser acordado ao amanhecer. ❤

4/5 estrelas.

Harry Potter e a Câmara Secreta

Harry Potter 02

Sinopse: Os Dursley estavam tão anti-sociais naquele verão, que tudo o que Harry queria era voltar às aulas da Escola de Bruxarias de Hogwarts. No entanto, quando já terminava de fazer suas malas, Harry recebe um aviso de um estranho chamado Dobby, que diz que um desastre acontecerá caso Potter decida voltar à Hogwarts. Harry não liga para aquela mensagem e o desastre realmente acontece. Naquele segundo ano estudando em Hogwarts, novos horrores surgem para atormentar Harry, incluindo o novo professor Gilderoy Lockhart e um espírito chamado Moaning Myrtle, que assombra o banheiro feminino, além de olhares indesejados da irmã mais nova de Ron Weasley, Ginny. Todos esses problemas, no entanto, parecem menores quando o verdadeiro problema começa e algo transforma os alunos de Hogwarts em pedra. Dentre os suspeitos: o próprio Harry. Descubra o fim desta aventura emocionante.

Haary Potter e a Câmara Secreta foi o livro escolhido para Agosto – Um livro best seller. Tenho total e absoluta certeza que ele foi um best seller na época em que foi lançado, em qualquer que seja o país em questão. É Harry Potter! Também o escolhi para o Mini-Desafio de Leitura porque esse ano coloquei o quarto livro no Desafio de Leitura 2017… Aí, já viram, né? Releitura em cima de releitura!

Mas tudo bem… Eu já tinha me esquecido bastante da história desse livro.

O livro começa muito devagar, muito chato. Os primeiros capítulos foram um sofrimento para conseguir ler, mas depois que as coisas começam a acontecer no castelo, até que o livro fica mais divertido e consegui lê-lo mais tranquilamente.

Acontece que muitos personagens são chatos nesse livro. Gilderoy Lockhart é simplesmente insuportável, os primeiranistas são bocós – estou olhando para você, Colin – e não há realmente nenhuma ação que faça você buscar a próxima página, o próximo capítulo. Estava tão entediada que larguei o livro por dois dias enquanto lia A Lógica Inexplicável da Minha Vida.

Quando os ataques aos estudantes com sangue trouxa começam a acontecer, praticamente estamos na metade do livro. Mesmo assim, é depois que eles começam que o livro fica realmente interessante e é só a partir daí que consegui ler sem parar até acabar.

Mesmo com todo o marasmo inicial, é um livro muito bom. É impressionante ver como a Rowling descreve as batalhas e faz com que 30-50 páginas valham para terminar muito bem o livro.

4/5 estrelas.

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos- Guerra

Sinopse: César e seus macacos são forçados a um conflito mortal contra um exército de seres humanos liderados por um Coronel implacável. Depois que os macacos sofrem perdas inimagináveis, César luta contra seus instintos mais escuros e começa sua própria busca mítica para vingar sua espécie. À medida em que a jornada finalmente os coloca cara a cara, César e o Coronel se enfrentam em uma batalha épica que determinará o destino de suas espécies e o futuro do planeta.

Não sei o que aconteceu na minha cabeça. Jurei que tinha postado essa resenha, mas não, estava enganada.

Tudo bem, acontece.

Assisti a esse filme já tem um tempinho e preciso dizer que foi um filme que me agradou bastante.

Não me lembro exatamente dos primeiros filmes lançados não sou tão velha assim, mas acho que o reboot ficou bem interessante. Como eu já disse, adoro saber o que aconteceu, como as coisas chegam ao ponto que chegaram, então aprender sobre como César foi criado, como o vírus se espalhou, como os macacos tornaram-se inteligentes? Foi maravilhoso.

E sim, o James Franco ajudou bastante. ❤

De qualquer forma! Foco, Tifa, foco.

Nesse filme nos deparamos com um César já adulto, velho, ainda liderando a resistência dos macacos e procurando um lugar seguro para viver. E como os humanos não aceitam esse fato e estão preparados para entrar em guerra contra o bando de César.

Achei fantástico a forma como a ciência por trás do filme parece verídica. Me lembrou até mesmo um pouco de The Walking Dead, com esse papo de que todos os humanos sobreviventes são portadores do vírus que deu a inteligência aos macacos. E de como esse vírus sofreu mutações.

Foi bem interessante ver como toda a saga consegue se encerrar de forma a dar uma história que continua, mas que ao mesmo tempo não precisa ser contada. Todos sabemos como a história terminará.

Se eu chorei? Sim, chorei. Mas provavelmente não no momento em que as pessoas normais choraram. Sou dessas que sofre com a morte de personagens secundários e com poucos frames.

Não é exatamente um spoiler. É uma guerra. Pessoas – e macacos – morrem em guerras. Deal with it.

All in all, gostei bastante do filme, mas realmente acho que esse reboot deve se encerrar com esse filme. Já tem todos os ganchos para o que vai acontecer no futuro, não precisamos de nada explícito.

Ou eu não preciso… q

4/5 estrelas.

A Lógica Inexplicável da Minha Vida

A Lógica Inexplicável da Minha Vida.jpeg

Sinopse: Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida uma tarefa que parece quase impossível.

Mantenho minha opinião que, primeiro, esse não é exatamente o tipo de livro que eu compraria, mesmo sendo YA e, segundo, que surpresa, que hino, que livro maravilhoso!

Sou muito grata ao Turista Literário por expandir minhas fronteiras e minha visão de mundo. Mesmo sendo uma caixa de livros especializada em Young Adult sempre acaba me surpreendendo com suas escolhas, com histórias diferentes, fora do padrão, que nos fazem refletir sobre nossas realidades.

Inicialmente não achei que iria gostar tanto dos personagens desse livro. Já mencionei aqui que drama não é bem um tema que me apeteça com frequência, mas há momentos na vida que precisamos dele. Pode ser apenas o excesso de drama advindo de Grey’s Anatomy – o que é culpa inteiramente da Nath que me convenceu a assistir a diaba da série – ou pode ser apenas eu tentando wrap my head around tudo o que está acontecendo com a minha vida, mas o que importa é que estou num momento favorável ao drama.

E acabei me reconhecendo nesses personagens. Em todos eles, sem excessão.

A nossa vida muda com frequência, muito mais do que estamos confortáveis em aceitar. E mudanças são absolutamente assustadoras. Toda mudança. Mesmo aquelas mudanças que partem de nós mesmos.

E o livro trata sobre isso. Sobre como um adolescente de 17 anos está conseguindo segurar a barra e viver dia após dia mesmo tendo todas as mudanças sendo jogadas em seu colo com pouco mais do que um frio deal with it.

Acho que é normal se sentir acuado, assustado, sem saber o que fazer. Hell if I know o que estou fazendo na maior parte do tempo enquanto sou obrigada a esperar a boa vontade de outras pessoas para conseguir seguir adiante com a minha vida. E acho que o senhor Benjamin consegue demonstrar muito bem essa imensa confusão em que acabamos nos metendo e sentindo.

Foi um livro que ressoou muito com meu atual estado de espírito. Novamente agradeço às irmãs Sigwalt e toda a equipe do Turista Literário por terem feito mais esse belíssimo trabalho de escolha e de ambientação da história. Choray como uma criança em algumas partes do livro e acho que ele ao mesmo tempo acabou comigo e me ajudou a entender melhor meu momento.

5/5 estrelas.

Valerian

Valerian.jpg

Sinopse: Século XXVIII. Valérian (Dane DeHaan) é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline (Cara Delevingne), por quem é apaixonado, em defesa da Terra e seus planetas aliados, continuamente atacados por bandidos intergaláticos. Quando chegam no planeta Alpha, eles precisarão acabar com uma operação comandada por grandes forças que deseja destruir os sonhos e as vidas dos dezessete milhões de habitantes do planeta.

Tentarei fazer uma resenha spoiler free, porque, afinal, o filme é um lançamento. Eu acho.

Comecei a assistir o filme achando simplesmente fantástico que ele fez o que eu esperava que ele fizesse. Ou melhor, que torcia para ele fazer. Ele explicou exatamente como foi que Alpha, a cidade de mil planetas, veio a existir.

Gente, eu AMO explicações de como as coisas começaram, de como as coisas funcionam. Eu amo explicações! O que é um tanto irônico já que eu amo deixar as minhas histórias em aberto… Então sim! Eu achei simplesmente fantástico explicarem como a “Cidade de mil planetas” veio a existir.

A fotografia desse filme foi fantástica e adorei ver as nuances de cada raça, de cada planeta que os agentes Valerian e Laureline visitaram.

Agora… Sobre os agentes… Honestamente achei a química entre eles inexistente e que os atores pareciam um pouco perdidos em relação aos seus personagens. Ou talvez seja o fato de que os dois atores escolhidos sofram de resting bitch face crônico. Eles ficam com cara de cu durante o filme todo. Geez!

Gostei bastante da Bubble – personagem da Rihanna – e achei que a atuação dela foi muito boa!

All in all, foi um filme divertido que vale a pena ser assistido em 3D mesmo eu não tendo conseguido assistir direito graças aos meus óculos…

3/5 estrelas.

E, sim, estou com 12 horas de atraso, mas tenho corrido bastante com a minha vida. Tenham paciência, ok? ❤

Rebelde

MLI 2017 Rebelde

Sinopse: Durante o verão de 1861, os exércitos do norte e do sul dos Estados Unidos se preparam para travar o que entraria para a história como a Guerra de Secessão. Rebelde é a fantástica história de como o jovem nortista Nathaniel Starbuck se rebela e luta a favor dos sulistas.

Abandonado pela mulher que julgava amá-lo e afastado da família, Nathaniel chega a Richmond, na Virgínia, capital da Confederação sulista. Lá, depara-se com uma turba acossando nortistas e tenta não se envolver. Porém, quando percebe que seu sobrenome é capaz de gerar uma fúria ainda maior — pois é filho do reverendo Elial Starbuck, grande defensor de ideias antiescravagistas —, é resgatado por Washington Faulconer, um milionário excêntrico que deseja reunir uma companhia de elite para lutar contra os ianques.

Como forma de gratidão, Nathaniel se alista na Legião Faulconer, mesmo sabendo que isso significa ter de lutar contra o próprio povo. Outros cidadãos enfrentam dilemas semelhantes, no entanto, em pouco tempo, todos se renderão ao caos e à violência que dividiu a América em duas.

Mesmo tendo flopado na MLI 2017, terminei de ler esse livro do tio Cornwell. Devo dizer que foi um livro mais difícil do que o esperado para ler, não consegui me convencer sobre o Nathaniel, mesmo gostando muito dele, e achei a história bem arrastada.

O começo do livro trata muito sobre a vida de Nate após ser abandonado pela mulher que o fez perder tudo – seu estudo em Yale, seu estilo de vida, seu país – e se ver no sul dos EUA no exato momento em que a Guerra da Secessão se inicia. Então passamos 60% do livro acompanhando o novo estilo de vida de Nate.

Não que tenha sido ruim, eu particularmente gosto de ver o que acontece com os personagens antes de eles se tornarem importantes, mas o teor religioso é muito carregado nesse livro, então tem alguns momentos que a história se torna excessivamente maçante.

All in all, gostei de conhecer um pouco dessa história, mas não tenho certeza se continuarei a leitura das Crônicas de Starbuck. Pelo menos não no Kindle – e por Kindle eu quero dizer o aplicativo no meu celular e no computador -, porque, pela primeira vez, me causou mal-estar ler o livro digital. A leitura não parecia render nem um pouco.

3/5 estrelas.