Tropas Estelares

Sinopse: Alistar-se no Exército foi a primeira – e talvez a última – escolha livre que Juan Rico pôde tomar ao sair da adolescência. Apesar do árduo e rigoroso treinamento pelo qual é obrigado a passar, o perseverante recruta está determinado a tornar-se um capitão de tropas. No acampamento militar, ele aprenderá a ser um soldado. Mas apenas ao final de seu treinamento, quando, enfim, a guerra chegar (e ela sempre chega), Rico saberá por que se tornou um. Vencedor do prêmio Hugo e um dos maiores clássicos da ficção científica mundial, Tropas estelares traz um enredo repleto de ação, tecnologia, superação de desafios, guerras espaciais e complexas relações políticas e humanas. A obra foi adaptada para o cinema pelo diretor Paul Verhoeven.

Meu irmão pegou este livro na minha conta do Kindle Unlimited tem quase um ano – mesmo período de tempo que ele ficou insistindo para que eu lesse – e finalmente pude fazer essa leitura que, honestamente, me tirou o chão.

Eu não esperava me conectar tanto com a personagem principal, mas acho que já era algo esperado – ou até mesmo previsível do tanto que amo esse universo de ficção-científica – inclusive porque o tio Scalzi bebeu muito dessa fonte do Heinlein

É perceptível que o Scalzi trouxe muito do universo de Tropas para o universo de Guerra do Velho e foi uma “adaptação” muito inteligente de ser feita, mesmo que os objetivos se pareçam, não seguem exatamente para o mesmo lugar…

Amei cada minuto dessa leitura, principalmente por ela nos mostrar como Juan se torna um cidadão, como ele se decide por se alistar, como foi seu treinamento e como ele subiu no escalão do exército intergalático. São por essas evoluções que eu vivo, AMO acompanhar o desenvolvimento das personagens. E se a estória deixa o “como” chegou àquele momento de lado, me dando o “porque” já me deixa mais do que satisfeita.

Mais uma leitura finalizada, mais uma ficção-científica incrível para a coleção.

5/5 estrelas e favoritado.

Wilder Girls

Li este livro depois de ser convencida pela fofa da Jully. Como ela não explicou muita coisa, fui para esta leitura completamente no escuro.

E, olha… Que leitura, viu.

O livro se passa em uma escola só para garotas na costa dos EUA e acompanhamos uma situação bem estranha, já que esta escola está em quarentena e todas as meninas – e as duas professoras – que vivem ali estão infectadas por algo chamado Tox.

A Tox causou mutação no corpo das meninas, mas não é algo bom. Dois corações, duas colunas vertebrais, uma mão cheia de escamas, cabelos que iluminam os arredores… E não é uma questão de apenas uma mutação e acabou. Não, as meninas sofrem as flares, algo como um “aquecimento” do seu corpo, quando a Tox volta a atacar o hospedeiro e causa novas mutações.

O interessante deste livro é que a Tox é o motivo pelo qual ele se desenvolve e ao mesmo tempo é pano de fundo para toda a violência que é viver com este isolamento, os animais selvagens contaminados, os problemas de falta de alimento, a natureza humana.

Assim como o livro não é só sobre isso, mas também sobre auto-conhecimento, aprendizado, sobrevivência…

É um livro que traz terror, só que também debate sobre homossexualidade, amizade, família, medos e sonhos. Foi uma leitura completamente intensa e que mexeu comigo.

4/5 estrelas.

Amante Sombrio

Sinopse: Em Caldwell – Nova Iorque, sem que o restante da humanidade saiba, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus caçadores. Interagindo em favor dos vampiros existe uma Irmandade secreta, formada pelos seis vampiros mais fortes e poderosos, defensores de sua raça, e nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura e ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça (filha de pai vampiro e mãe humana) ignorante de sua herança e destino, não terá outra saída senão cuidar da bela garota e leva-la para o mundo dos não mortos. Ela, Beth Randall, vê-se impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente e sensual, que a visita durante a noite, envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade e o mundo dos vampiros a aterrorizam e fascinam, e seu simples toque faísca um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Terminei de ler esse livro tem algum tempo, mas estava um pouco desanimada para escrever as resenhas e por isso, sinto muito. Principalmente para a Nic porque prometi ler esse livro por conta dela.

Tendo crescido com os livros da Anne Rice e aos jogos de Vampiro: a Máscara, posso dizer que fiquei um tanto revoltada com a forma como os vampiros são apresentados nesse livro.

Só que após alguns capítulos, dá pra aceitar essa forma de vampiro sem maiores problemas. O que eu não consegui ignorar muito foi a quantidade de romance e sexo e a forma como os personagens interagiam entre si…

Eu e meu problema com romance, pra variar…

No geral a história é muito, só achei que teve muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e pouco tempo para o desenvolvimento da história e muito tempo gasto com o sexo… Sorry Nic

Posso dizer que estou muito feliz por ter lido esse livro e entender os motivos porque esse livro é um dos favoritos de uma das minhas melhores amigas.

Só não é o meu tipo de livro.

3/5 estrelas.

Daughter of Smoke and Bone

Sinopse: “Um romance de tirar o fôlego, sobre destino, esperança e a busca de si mesmo” The New York Times.
Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

Este ano a Nati, a Malu e o João deram início à leitura coletiva de Feita de Fumaça e Ossos, até ia participar da leitura, mas fiquei com um pouco de preguiça porque não tenho muitas boas experiências nessas grandes leituras coletivas. Sou chata mesmo.

Mas já estava nos planos de ler esses livros desde que o comprei na Amazon. Só não imaginava que iria gostar tanto desse livro.

Gente estou completamente apaixonada pela Karou!

Costumo ter uma chatice de não ser muito fã das personagens principais dos livros que leio, mas a Karou conseguiu desconstruir totalmente esse pensamento. Simplesmente porque ela é uma fofa, muito carismática e NÃO É BURRA!

Tudo bem que ela não sabe muito bem o que está acontecendo por falta de informações, MAS ela não é burra. ❤

Outra coisa que me conquistou permanentemente é o mistério desse livro. O mistério que ronda essa história é tão incrível que fiquei completamente deslumbrada com o que estava acontecendo, tentando entender o que estava acontecendo com a Karou, com a realidade dela…

Ai gente, nem consigo colocar tudo em palavras pra não tirar a magia dessa leitura… Porque vale a pena.

5/5 estrelas e favoritado! Quero muito ler o próximo livro logo~

O Homem de Giz

Sinopse: Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

Segunda leitura realizada para o Diários dos LeitoresE em algum momento precisarei trazer para discussão se e-book também é livro, se ele não fica na minha estante. SIM minha estante de e-books está crescendo em nível exponencial.

Comecei essa leitura no avião enquanto ia para São Paulo para a Bienal, inclusive cheguei em 58% da leitura em poucas horas, mostrando o quanto essa autora conseguiu escrever uma história fluida e rápida de ler. Meu problema é que entre Kindle e livro físico, acabo priorizando os livros físicos em casa porque, afinal, são eles que ocupam espaço visualmente falando – e tendo “duas estantes” uma para os livros lidos e outra para os não lidos, acreditem, a vontade de colocar todos na estante de lidos é ENORME. Então demorei um pouco mais do que imaginava para concluir essa leitura.

No total devo ter lido esse livro em umas 10 horas, só que como não foram sequenciais, foram algumas semanas entre o início da leitura e o final dela…

Sobre a história…

A autora conseguiu criar personagens humanos, no sentido que todos tinham seus problemas, suas falhas e virtudes. Então cada um deles consegue passar aquela impressão de que não são apenas personagens em uma folha de papel, mas pessoas reais que você conhece. E isso é sempre um ponto positivo em qualquer livro.

Ao mesmo tempo, achei que a forma como a autora criou os problemas e os resolveu foi corrida e o fato de que ela queria amarrar tudo em uma única história foi um tanto quanto… irreal.

E, em particular, achei que o desenvolvimento do personagem principal foi muito errático. Enquanto ela foi criando motivos para torná-lo o que ele era ao final, ela meio que forçou a barra em alguns momentos.

Foi uma leitura muito boa e que me distraiu dos problemas do dia a dia.

3/5 estrelas.

The Glass Magician

Sinopse: Three months after returning Magician Emery Thane’s heart to his body, Ceony Twill is well on her way to becoming a Folder. Unfortunately, not all of Ceony’s thoughts have been focused on paper magic. Though she was promised romance by a fortuity box, Ceony still hasn’t broken the teacher-student barrier with Emery, despite their growing closeness.
When a magician with a penchant for revenge believes that Ceony possesses a secret, he vows to discover it…even if it tears apart the very fabric of their magical world. After a series of attacks target Ceony and catch those she holds most dear in the crossfire, Ceony knows she must find the true limits of her powers…and keep her knowledge from falling into wayward hands.

Creio que prometi a mim mesma que não continuaria com a leitura dessa trilogia, mas, graças ao Kindle Unlimited, vou acabar lendo sim. Afinal, quase qualquer coisa de graça vale a pena. q

O livro continua com a saga de Ceony sob os cuidados de seu mestre, Emery, e seus ensinamentos e paixão platônica. E isso, por si só, já é uma das coisas que mais me incomoda em toda a história dessa trilogia.

Já deve ser claro para todos que me acompanham por aqui que eu não gosto de romance. Não preciso nem dizer o que eu acho do romance piegas, em que a mulher é considerada nada mais do que a cuidadora do lar – cozinhar, lavar roupas, cuidar da casa e do seu marido. Argh… É de revirar o estômago.

E, veja bem, não me importo nem um pouco com o fato de que Ceony ama cozinhar. Se ela ama, que faça, mas miga autora, deixa eu te contar uma coisa: ela tinha o meu respeito quando não se importava em se maquiar e se vestir com as melhores roupas apenas para estar no mesmo lugar que o Emery. Agora que ela só faz isso? Perdeu completamente meu respeito.

Os inimigos que Ceony acaba enfrentando – porque ela é a protagonista afinal, não importa que só tenha 19 anos ou que não faça a mínima ideia de como possa lutar contra os inimigos ou mesmo que não tenha uma quantidade considerável de conhecimento sobre sua própria magia – continuam sem muita motivação ou profundidade.

E, é claro, assim como no primeiro livro Ceony consegue a proeza de descobrir a única forma possível de vencer…

Os pontos negativos dessa saga são muito maiores que os positivos, o que realmente me deixa triste, porque existia muito potencial.

Mês que vem leio o último livro da trilogia e posso dar por encerrada esse triste momento em minha vida. Porque é preciso muito mais do que isso para que eu abandone as sagas que começo.

3/5 estrelas e muita decepção.

The Paper Magician

IMG_20180424_235524_128

Sinopse: Ceony Twill arrives at the cottage of Magician Emery Thane with a broken heart. Having graduated at the top of her class from the Tagis Praff School for the Magically Inclined, Ceony is assigned an apprenticeship in paper magic despite her dreams of bespelling metal. And once she’s bonded to paper, that will be her only magic…forever.
Yet the spells Ceony learns under the strange yet kind Thane turn out to be more marvelous than she could have ever imagined—animating paper creatures, bringing stories to life via ghostly images, even reading fortunes. But as she discovers these wonders, Ceony also learns of the extraordinary dangers of forbidden magic.
An Excisioner—a practitioner of dark, flesh magic—invades the cottage and rips Thane’s heart from his chest. To save her teacher’s life, Ceony must face the evil magician and embark on an unbelievable adventure that will take her into the chambers of Thane’s still-beating heart—and reveal the very soul of the man.
From the imaginative mind of debut author Charlie N. Holmberg, The Paper Magician is an extraordinary adventure both dark and whimsical that will delight readers of all ages.

The Paper Magician é um livro que fala sobre magia. Vocês não fazem ideia de como tenho me reaproximado desse tema que eu amo tanto que é a magia. Eu simplesmente AMO conhecer sistemas de magia diferentes, saber como eles funcionam, seus pontos fortes e fracos… Amo. Muito provavelmente é o meu lado rpgista dando as caras…

Acontece que neste universo, a magia pode ser utilizada através de materiais criados pelo homem, ou seja, qualquer coisa que o homem tenha colocado as patinhas pra criar, pode ser manipulado pela magia. Inclusive o próprio ser humano.

Como um bom livro de fantasia com magia, temos uma vertente da magia que é proibida, a magia do sangue. Seus praticantes são chamados de Excisioners e eles são caçados e temidos por todos.

Afora isso, temos a questão, também, de que a partir do momento que o praticante de magia é vinculado a um tipo de magia – papel, plástico, vidro, metal – a pessoa está “condenada” a utilizar apenas o tipo de magia vinculado a ele. Não há trocas, não há dupla vinculação. Apenas um tipo de magia por pessoa.

E tudo estava indo muito bem nos primeiros capítulos do livro… Até que o mestre da Ceony é atacado e apenas ela pode salvá-lo.

Devo dizer que já estava incomodada de ler o tempo todo que a Ceony tem uma memória perfeita, que não precisa estudar, basta ler uma vez ou ver alguma coisa apenas uma vez e pronto, já tem aquele fato em sua memória para ser visitado a qualquer momento. Então é claro que quando o livro se tornou apenas a narrativa de como a Ceony – uma aprendiz de Dobradura com menos de um mês de aulas – é a única que poderia salvar seu mestre, encarei o livro como uma grande fanfic.

A Ceony tem muitas características de uma personagem Mary-Sue, ela é linda, é pequena, é a que chama atenção por ser diferente, por ter gênio forte, por saber cozinhar. Ela é um “gênio” da Dobradura, ela é corajosa. Em resumo, ela é perfeita.

E quando Thane, seu mestre, é atacado e o Comitê de Magia precisa ser envolvido para que ele possa ser salvo, Ceony pega um monte de folhas de papel e parte sozinha para a batalha.

Essa batalha se passa nas memórias de Thane e não faz o menor sentido.

Acho que eu esperava muito desse livro, até porque meu tio Roberto tinha me dito que o livro era muito bom, que me surpreendi pela falta de profundidade, explicação, história. Tenho a agradecer o fato de que o livro – e todos os outros da coleção – está disponível no Kindle Unlimited. Assim, poderei acompanhar a história da Ceony sem precisar realmente comprar os livros.

3/5 estrelas.