Secrets of the Tau

Como eu disse na resenha de Forest od the Ancients, ou talvez não, porque eu sou uma louca a imersão que tive durante a “leitura” destes dois livros durante meu retorno de Goiânia – em uma viagem de aproximadamente 10 horas dirigindo sozinha – quase me trouxe problemas, já que eu quase fiquei sem combustível no meio do nada PORQUE EU ESTAVA SUPER INVESTIDA NESSES LIVROS!

Honestamente eu estou impressionada em como essa estória está se desenvolvendo. A cada novo livro vamos aprendendo mais e mais sobre cada um dos personagens e, devo dizer, que a falta de conhecimento da Zelia em relação ao passado do Meki me deixa pasma.

Era pra eles se conhecerem pelo menos um pouco, não? Tendo em vista que eles dividiram uma boa parte de sua vida em uma nave…

But I digress

A realidade é que a forma como os personagens são apresentados e como cada um lida com os problemas que eles têm que enfrentar. São nesses pequenos detalhes que podemos ver o cuidado e o carinho para a criação desse universo.

Fora que é uma forma incrível de transformar um RPG em uma estória… ❤

Amo demais!

5/5 estrelas e favoritado.

Forest of the Ancient

No terceiro livro da série Realm Quest acompanhamos a narração da fofa Thanis, a guerreira do grupo, e acabamos descobrindo mais sobre a relação dela com Kaspar e com o restante do grupo.

Aqui continuamos a busca pelo Vertigan e, também, para encontrar uma cura para o ferimento de Elio. Então acompanhamos o grupo indo ao único lugar que não deveria: a Floresta Proibida! Não, calma, essa é outra floresta…

A Floresta dos Anciãos.

Lá eles terão que enfrentar seus medos, lutar contra inimigos e descobrir formas novas de sobreviver aos problemas em seu caminho.

Vou dizer que escutei este audiobook juntamente com o Secrets of the Tau durante meu caminho de volta das férias – são por volta de 10 horas de viagem e estava dirigindo sozinha no carro – e fiquei tão entretida com os dois livros que mal percebi o tempo passando.

Esse é o nível de quão bom este livro é.

Honestamente, estava precisando de verdade de uma história de RPG tão imersiva assim, uma delícia de acompanhar e que me deixa realmente ansiosa para o próximo livro. ❤

5/5 estrelas e aguardando o próximo!

The B-Team

Continuando com o meu amor eterno pelo tio John. Temos aqui um livro que se passa no mesmo universo que Guerra do Velho, mas não é exatamente uma continuação, ao menos não ao pé da letra.

Pelo que consegui entender desta leitura, The B-Team se passa anos depois de John e Jane aprontarem alguma trapalhada com as Forças Coloniais de Defesa. E, assim sendo, alguma coisa interessante parece que vai acontecer no universo de Guerra do Velho e eu estou MUITO ansiosa para ler o terceiro livro! Que está me encarando da estante neste exato momento.

Aqui seguimos uma outra vertente da batalha pelo universo: através da diplomacia.

Somos apresentados a novas raças alienígenas, a novos formatos de batalha e a métodos bem interessantes de resolver problemas.

O livro se chama The B-Team (seria algo como time da segunda divisão) exatamente porque a equipe de personagens que acompanhamos são considerados descartáveis, enviados em uma missão com altíssimas probabilidades de falhas e que traz um grau extratosférico de perigo para a humanidade como um todo.

Diplomacia… O coisinha complicada, viu.

A narração deste livro é impecável, assim como o enredo é de tirar o fôlego.

5/5 estrelas, favoritado e mal posso esperar pelos próximos livros!

Undying

Após a leitura de Os Eternos: O Legado, fiquei desesperada para saber como a estória se encerraria e dei pulos de alegria ao descobrir que a continuação estava disponível na Audible.

Aqui continuamos exatamente de onde Os Eternos termina, com Mia e Jules presos na nave dos Eternos e indo em direção à Terra.

Tendo em vista que os garotos finalmente conseguem descobrir que os Eternos estão vivos e prontos para invadir o nosso planeta, é praticamente impossível terminar a leitura do primeiro livro e não querer saber como isso se resolve. Ainda mais porque temos muitos, mas muitos problemas para serem resolvidos nesse livro. O primeiro – e mais importante – deles sendo: como Jules e Mia conseguirão voltar para Terra?

No geral esse livro me deixou com um misto de felicidade e de irritação em mesma medida.

Calma, eu explico.

Eu realmente estava completamente desesperada para saber como as coisas se resolveriam do primeiro livro e, é até justificável a forma como Jules e Mia se aproximam em Gaia, mas a partir do momento que eles chegam na Terra, isso fica bem estranho. Os problemas se resolvem de uma forma mais fácil e simples do que você imagina e o romance simplesmente não cabe na estória.

É como eu disse para a Jully, tirando a parte do romance – que flerta bastante com o erótico – achei este livro bem mais infanto-juvenil do que YA. A forma como os problemas se resolvem me irritaram bastante.

Ao final, volto a imaginar que o maior problema desse livro foi a tal da expectativa.

3/5 estrelas.

Sadie

Sinopse: Uma garota foi brutalmente assassinada. Seu corpo foi encontrado entre um pomar de macieiras e uma escola incendiada nos arredores de Cold Creek, Colorado. Seu nome era Mattie Southern, e ela só tinha treze anos.
A pequena Mattie era a única conexão de sua irmã mais velha, Sadie Hunter, com o mundo. Quando elas foram abandonadas pela mãe, que era viciada em álcool e outras drogas, Sadie cuidou da irmãzinha como se nada mais importasse.
Agora, tudo o que a garota de dezenove anos quer é fazer justiça com as próprias mãos. E nem mesmo a gagueira que dificulta sua comunicação vai impedi-la de encontrar o paradeiro do assassino. Desde que partiu atrás do abusador que tirou a vida de Mattie, Sadie nunca mais foi vista. O que aconteceu com ela?
A única pessoa disposta a encontrar respostas é o jornalista West McCray. Quando a polícia não conseguiu resolver o caso, a avó de consideração das garotas pediu a ajuda dele. O repórter está seguindo o rastro de Sadie e, ao longo de sua investigação, ele produz um podcast. Cada pista descoberta revela uma verdade desoladora.
Dividido entre o podcast de West McCray e a narrativa da personagem, Sadie é um thriller que perturbará você até a última página. Afinal, uma garota desaparecida é sempre uma história inacabada.

Conheci a Milena na FLIPOP 2019 e fiquei tão feliz de conhecê-la que dei o livro Sadie para ela e, assim, combinamos a leitura coletiva dele. Já estava curiosa com esse livro e só precisava de uma desculpa para realizar a leitura dele.

Acompanhamos a história por dois pontos de vista, o de Sadie e o do repórter West McCray em duas formas, a de investigação e a do podcast, no qual ele conta a história das irmãs Southern.

O interessante deste audiobook é que ele é full cast, ou seja, cada personagem tem seu próprio intérprete, o que traz ainda mais profundidade para a narrativa e para os próprios personagens. Em particular, a intérprete da Sadie me deixou embasbacada com seu trabalho. Me senti na pele da personagem de formas que não esperava.

Adoro livros policiais, mas devo avisar que o tópico deste livro é mais tenso e pesado do que eu esperava, afinal fala de pedofilia, assassinato, roubo, justiça com as próprias mãos… Trata de muitos assuntos extremos e que incomoda de uma forma indescritível.

Sadie tem uma pista sobre o assassino da sua irmã e por isso toma a decisão de persegui-lo. Ela não imaginava que o trajeto seria longo e doloroso, que descobriria mais facetas horríveis de um mundo podre.

Por estar tão próxima do caso, Sadie muitas vezes se mostra uma narradora não confiável, afinal, ela está completamente envolvida tanto emotiva quanto psicologicamente. E o fato de ela não ter todas as peças e buscar solucionar o assassinato da irmã, coisa que a polícia não conseguiu – ou não se importou – torna toda a história ainda mais intensa.

A participação de West se dá no mesmo sentido que a investigação de Sadie, afinal, ele está procurando por ela, novamente em uma busca que a polícia não conseguiu ou se importou em realizar. Ele se aproxima do caso aos poucos, traz outras facetas que Sadie – talvez por sua idade ou incapacidade de empatizar com sua família – não consegue nos mostrar.

As narrativas se complementam, tornam a imagem mais nítida e nos traz informações que de forma independente não conseguiríamos perceber.

4/5 estrelas e favoritado. Obrigada pela leitura maravilhosa Mi!

Warped Galaxies: Claws of the Genestealer

Sinopse: Brave champions and the forces of the Imperium battle alien beasts and mechanical tyrants accross the gulf of space.
Having crash landed on a remote ice planet, Zelia Lor and her friends Talen, Mekki and the super-intelligent alien-ape Fleapit must do whatever they can to survive. A distress beacon offers some hope of rescue, but what else lurks in the ice and snow, watching them with hungry eyes…?

Ao contrário do que aconteceu com Realm Quest: Lair of the Skaven, neste segundo livro continuamos com a narrativa mudando entre personagens e capítulos, o que mostra uma dinâmica completamente diferente e sempre interessante dos personagens.

Como sempre, acho importantíssimo conhecer a fundo os personagens – tanto principais quanto secundários – então adoro quando com essas mudanças de ponto de vista conhecemos as personalidades e motivações de cada personagem.

Fora que adorei conhecer um pouco mais do passado do Fleapit. ❤ Eu e minha paixão pelos alienígenas com conhecimento tecnológico…

Não sei dizer se foi o fato de ser ficção-científica ou se foi somente o fato de que todos os personagens tem seu momento de narração, mas gostei mais desta continuação do que da de Realm Quest. Será possível que meu gosto por fantasia foi completamente substituído pelo amor por ficção-científica?

5/5 estrelas e aguardando a continuação!

Realm Quest: Lair of the Skaven

Sinopse: Epic heroes, mighty armies and terrifying monsters clash against the backdrop of magical landscapes.
When their master, Vertigan, is kidnapped, Elio and his friends are determined to try and rescue him. Using a powerful artefact, they forge a magical doorway into a forbidding underground world teeming with Skaven ratmen! Hopelessly outnumbered, Elio, Kiri, Alish, Thanis and Kaspar must use all of their cunning if they are to find Vertigan and escape alive…

Ao contrário do que eu imaginei, achei essa continuação um pouco… chata. A narrativa da Billie continua maravilhosa! Só que acho que não consegui me conectar com a personagem principal da vez.

Vejam bem, enquanto no primeiro livro tivemos a narrativa pelo ponto de vista da Kiri, neste livro temos a narrativa pelo ponto de vista de Elio. E, sem or, que guri chato. q

Ele seria o típico personagem Leal-Bom, super otimista, jurando que é melhor que os outros porque foi o primeiro pupilo de Vertigan, achando que sabe o que é o melhor pra equipe e tudo o mais.

Foi bem chatinho acompanhá-lo narrando. E, ao mesmo tempo, foi interessante por poder ver os problemas e as personagens por outros olhos além dos da Kiri.

Talvez eu não tenha gostado tanto porque esperava encontrar a Kiri novamente, mas, agora que sei que os narradores mudam, estou ansiosa para o próximo livro.

E como foi divertido acompanhar mais uma parte dessa aventura!

3/5 estrelas.