A Bruxa de Near

Sinopse: Na cidade de Near não existem estranhos e a velha história da Bruxa é contada apenas para assustar as crianças. Estas são as verdades que Lexi Harris ouviu durante toda a vida.
Mas quando um estranho, um garoto que parece desaparecer como fumaça, surge em uma noite do lado de fora de sua casa, ela sabe que algo não está correto.
Na noite seguinte, crianças começam a desaparecer de suas camas sem deixar qualquer vestígio e o estranho é o principal suspeito. Mas quando o garoto se oferece para ajudar na busca, algo no coração de Lexi diz que ele esconde outros segredos e não é o culpado.
Ela estaria imaginando ou o vento parecia sussurrar através das paredes? Quando a busca pelas crianças se intensifica, o mesmo acontece com a necessidade de Lexi de saber sobre a Bruxa que talvez não seja só uma história para dormir…

Segundo livro escolhido para a Creepytober 2018.

Acho que já deu pra perceber que eu tenho uma tendência a ler tudo o que eu encontrar dos autores que eu gosto, não é mesmo? E, tendo me descoberto louca pela tia Vic, não poderia deixar de me enveredar pela interwebs procurando o que ela escreveu. #VictoriaSchwabRainhaDaMinhaVida

E foi assim que encontrei A Bruxa de Near disponível no Kindle Unlimited.

Resolvi colocá-lo na maratona para poder matar dois coelhos com uma cajadada só, afinal, eu estou enrolando a vida para ler os livros que comprei no Kindle…

É claro que eu não imaginava uma história tão… dark assim.

Geralmente, quando pensamos em bruxas em histórias, acabamos imaginando algo mais puxado para a fantasia, não é mesmo? Pelo menos comigo é assim.

Ledo engano…

A Bruxa de Near, mesmo com seus traços de fantasia e uma pitada de romance sobrenatural, entrega uma história recheada de suspense e com toques de terror. A lenda da Bruxa que vivia em Near e foi morta pelos conselheiros depois de causar a morte de uma criança, as brincadeiras de roda que as crianças de Near cantavam, até mesmo a atitude da família de Lexi, cria uma atmosfera tensa e que acompanha o leitor durante todo o livro.

Não podia esperar menos da minha diva, não é mesmo?

Se existe algo que eu não tenha verdadeiramente gostado nesse livro foi a parte do romance. Achei forçado, clichê e tão desnecessário para a construção da personagem e do enredo… Uma das únicas coisas que realmente deixou a desejar.

4/5 estrelas, favoritado e desejado. Preciso desse livro físico!

432/2072 páginas.

Advertisements

A Poção Secreta

Sinopse: A Princesa do Reino de Nova toma acidentalmente uma poção do amor, e se apaixona por si mesma! Para encontrar o antídoto que possa curá-la, o rei mobiliza todos numa expedição chamada Caçada Selvagem. Competidores do mundo todo saem em busca dos mais raros ingredientes em florestas mágicas e montanhas geladas, enfrentando perigos e encarando a morte para encontrar a fórmula da poção secreta. Dentre eles, está Samantha, uma garota comum que herdou dos seus ancestrais alquimistas o talento para preparar poções. Esta pode ser a oportunidade para reerguer a decadente loja de poções da família, afinal o mundo todo estará acompanhando a Caçada nas mídias sociais. Será que ela conseguirá descobrir a cura e salvar a Princesa?

Livro escolhido para a segunda quinzena de setembro Um livro com cores pastéis na capa. E, como sempre, preciso agradecer imensamente a presença do Kindle Unlimited na minha vida.

Este livro tem uma ideia muito interessante, misturando magia e alquimia com tecnologia. Só que achei que a construção da personagem foi bem fraca e a resolução dos problemas muito deus ex.

Foi, entretanto, uma leitura bem fluida e rápida e que me divertiu bastante. O que me deixa triste em constatar que, por mais que a ideia inicial tenha sido muito interessante, o desenvolvimento dela deixou muito a desejar.

2,5/5 estrelas e provavelmente não continuarei lendo a trilogia.

Carry On

Sinopse: Simon Snow é um bruxo que estuda numa escola de magia na Inglaterra. Profecias dizem que ele é o Escolhido. Você pode até estar pensando que já conhece uma história parecida. O que você não sabe é que Simon Snow é o pior Escolhido que alguém já escolheu.
Poderosíssimo, mas desastroso a ponto de não conseguir controlar sequer sua própria varinha, Simon está tendo um ano difícil na Escola de Magia de Watford. Seu mentor o evita, sua namorada termina com ele e uma entidade sinistra ronda por aí usando seu rosto. Para piorar, seu antagonista e colega de quarto, Baz, está desaparecido, provavelmente maquinando algum plano insano a fim de derrotá-lo.
Carry On é uma história de fantasma, de amor e de mistério. Tem todos os beijos e diálogos que se pode esperar de uma história de Rainbow Rowell, mas com muito, muito mais monstros.

E encerrando a minha participação atrasada na Fantastona, escolhi este livro para os desafios do Fábbio: uma fantasia com dragões, e do Deivid: uma fantasia representativa.

Devo dizer que mesmo demorando uma semana a mais para conseguir ler todos os livros e cumprir todos os desafios da Fantastona, eu sempre me impressiono em como adoro participar dessas maratonas! É uma forma tão divertida de se influenciar a ler! Acho que é por isso que sou a louca das maratonas… Mesmo quando o flop nos abraça. Hahahahaha.

A leitura de Carry On foi diferente do que eu esperava. Na verdade eu não sei exatamente o que eu esperava dessa leitura. Pelo que eu entendi, esse livro se baseia numa fanfic escrita pela personagem principal do livro Fangirl… Ou algo assim.

É bem perceptível a inspiração em Harry Potter, mas a forma como a história é contada, o desenvolvimento das personagens, os problemas e a forma como eles se resolvem, é muito interessante, conseguindo se libertar das amarras de sua inspiração e alcançando um novo patamar.

Adorei conhecer cada uma das personagens e acompanhar como elas interagiam entre si e como cada uma influenciava a história umas das outras.

Como sempre, acabo sendo uma pessoa exigente demais com o que leio e, por mais que tenha gostado da história, não sei se continuarei lendo porque gostei absurdamente do final do livro e não acho que seja necessário continuarem com essa narrativa. Porque aparentemente eu sou minoria e esse foi só o primeiro livro de uma série…

4/5 estrelas.

O Aprendiz

Sinopse: Thomas Ward é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. A missão é árdua, o Caça-Feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros. Quando, porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin, a feiticeira mais malévola do Condado, tem início o horror… e uma grande aventura!
O aprendiz, primeiro livro da série de fantasia As aventuras do Caça-Feitiço, escrito por Joseph Delaney (e traduzido pela prestigiada Lia Wyler, responsável pelo texto em português da saga de Harry Potter), que já vendeu centenas de milhares de exemplares em todo o mundo, é uma história repleta de emoção e muitos, muitos sustos. Por isso, cuidado: não deve ser lido à noite!
“Muito bem, rapaz. Você está aprendendo. Somos os sétimos filhos de sétimos filhos, e temos o dom de ver coisas que os outros não podem ver. Mas esse dom, de vez em quando, pode se tornar uma maldição. Se tivermos medo, às vezes poderão aparecer coisas que se alimentam desse medo. O medo piora tudo para nós. O truque é nos concentrarmos no que vemos e pararmos de pensar em nós mesmos. Sempre resolve.”

Este foi o livro escolhido para o desafio da diva Nick: Uma fantasia com mestres e aprendizes. Fantastona melhor maratona, sim ou claro?

Devo dizer que gosto bastante de livros infanto-juvenis e sempre fiquei curiosa para ler essa saga As Aventuras do Caça-Feitiços, principalmente por conta do aviso para não ler o livro à noite… Achei uma forma bem criativa para divulgar a história.

E não sei dizer se sou eu que estou crescendo, ou se só estou ficando cada dia mais chata exigente com o que eu leio, mas não posso dizer que essa história me cativou a ponto de ler o restante da saga…

Talvez eu só tenha enjoado um pouco das histórias de magia em que há um escolhido para resolver todos os problemas do mundo… More on that later…

Achei a narrativa do livro muito boa de ler, porém muito superficial. As personagens não são muito desenvolvidas e a própria história me pareceu corrida, com cada plot twist se resolvendo de forma quase que milagrosamente.

Gostei, entretanto, da forma como o preconceito contra os caça-feitiços foi descrito. Acho sempre muito interessante ver como algo que é visto como perigoso e não natural acaba sendo necessário pelas pessoas que o desprezam. É sempre um paradoxo interessante.

Como eu disse, a leitura foi muito boa e rápida, mas o livro não foi exatamente o que eu esperava – o que pode ter colaborado para que eu ficasse levemente decepcionada com a história…

Quem sabe em um futuro distante eu não dê uma segunda chance pra essa saga?

4/5 estrelas.

The Plastic Magician

Sinopse: Wall Street Journal bestselling author Charlie N. Holmberg returns to the enchanting world of The Paper Magician.
Alvie Brechenmacher has arrived in London to begin her training in Polymaking—the magical discipline of bespelling plastic. Polymaking is the newest form of magic, and in a field where there is so much left to learn, every Polymaker dreams of making the next big discovery.
Even though she is only an apprentice, Alvie is an inventor at heart, and she is determined to make as many discoveries—in as short a time frame—as she can. Luckily for her, she’s studying under the world-renowned magician Marion Praff, who is just as dedicated as Alvie is.
Alvie’s enthusiasm reinvigorates her mentor’s work, and together they create a device that could forever change Polymaking—and the world. But when a rival learns of their plans, he conspires to steal their invention and take the credit for it himself.
To thwart him, Alvie will need to think one step ahead. For in the high-stakes world of magical discovery, not everyone plays fair…

Livro escolhido para o desafio da maravilhosa da Jully: um livro com protagonista feminina. Vou te contar que essa Fantastona foi muito divertida com esse tanto de desafio!

Para quem me conhece, imagino que não seja grande surpresa que eu não goste de romance. Na verdade, o meu problema não é o romance em si, é um livro ser completamente voltado para o romance, sem dar muita importância para o desenvolvimento da narrativa ou das personagens e girar única e exclusivamente ao redor do romance.

E, por mais que não seja exatamente o caso em The Paper Magician, muitas coisas na saga original eram tão clichês que me fizeram desgostar um pouco da história. Ainda mais porque o estilo de magia mostrado nesse mundo é muito interessante!

O que já me deixou mais animada para ler esse livro é que a personagem principal é apresentada como uma estudiosa que não se importa com muito mais coisa do que com o estudo da magia. E meu deus! Como eu fiquei feliz com isso!

Até que comecei a ler o livro e recebi um balde de água fria no meio da cara.

Alvie é descrita como uma garota americana que não liga para beleza, que se importa com o desenvolvimento científico – tendo em vista que seu pai é um dos criadores das lâmpadas elétricas -, que não se importa com as convenções sociais – passando mais tempo vestindo calças e trabalhando como mecânica do que indo a bailes.

Ela seria uma personagem feminina forte, independente e que poderia ganhar o mundo! Só que a autora, ao meu ver, fez um desserviço à Alvie quando a descreve como estudiosa porque nenhum rapaz se interessou por ela em toda sua vida.

O clichê do insta-love também está presente firme e forte nessa narrativa. E, por mais que ele seja um tanto secundário na história, é uma das coisas que a faz se desenvolver.

Enfim…

Mesmo com todos esses problemas, a narrativa é muito interessante e o desenvolvimento das personagens se dá gradualmente, de forma que é um daqueles livros que você devora em poucas horas.

3/5 estrelas.

The Master Magician

Sinopse: Throughout her studies, Ceony Twill has harbored a secret, one she’s kept from even her mentor, Emery Thane. She’s discovered how to practice forms of magic other than her own—an ability long thought impossible.
While all seems set for Ceony to complete her apprenticeship and pass her upcoming final magician’s exam, life quickly becomes complicated. To avoid favoritism, Emery sends her to another paper magician for testing, a Folder who despises Emery and cares even less for his apprentice. To make matters worse, a murderous criminal from Ceony’s past escapes imprisonment. Now she must track the power-hungry convict across England before he can take his revenge. With her life and loved ones hanging in the balance, Ceony must face a criminal who wields the one magic that she does not, and it may prove more powerful than all her skills combined.

Devo dizer que este livro foi tudo o que eu precisava que ele fosse depois da minha decepção e revolta com Tempestade de Guerra more on that later… explicarei tudo em detalhes quando (se) eu terminar de ler o livro…: um livro fácil, rápido, bobo e fluido.

The Master Magician encerra a trilogia iniciada com The Paper Magician e continua a história de Ceony e Emery de uma forma, honestamente, já esperada. Ceony está para terminar seu período de aprendizado para se tornar uma maga do papel e o romance entre ela e Emery está a todo vapor.

Com apenas um diferencial: Ceony agora consegue dominar todos os tipos de magia. Um de cada vez, é claro.

E, como não podia ser diferente, ela se joga na frente do perigo mais uma vez, apenas para provar que um raio pode sim cair 3 vezes no mesmo lugar. Porque, pqp, vai ser estabanada e desastrada quando é hora de lutar assim lá longe!

De certa forma este livro, esta trilogia me fez passar alguns momentos de raiva, principalmente porque há fatos não explicados na história que a autora resolveu simplesmente ignorar, como por exemplo o que diabos a Ceony fez na sua luta contra a Lira. Só que, ao mesmo tempo, eu não tinha expectativas muito grandes pra essa história de qualquer forma – não depois que terminei de ler o primeiro livro, for that matter.

Como eu já disse, a leitura foi muito gostosa e rápida, o que serviu para o meu propósito de voltar a postar nos dias certos. Vamos ver até quando isso vai…

3/5 estrelas.

Ah, não mencionei, mas esta trilogia está sendo atualmente publicada no Brasil pela Editora Passaporte.

The Glass Magician

Sinopse: Three months after returning Magician Emery Thane’s heart to his body, Ceony Twill is well on her way to becoming a Folder. Unfortunately, not all of Ceony’s thoughts have been focused on paper magic. Though she was promised romance by a fortuity box, Ceony still hasn’t broken the teacher-student barrier with Emery, despite their growing closeness.
When a magician with a penchant for revenge believes that Ceony possesses a secret, he vows to discover it…even if it tears apart the very fabric of their magical world. After a series of attacks target Ceony and catch those she holds most dear in the crossfire, Ceony knows she must find the true limits of her powers…and keep her knowledge from falling into wayward hands.

Creio que prometi a mim mesma que não continuaria com a leitura dessa trilogia, mas, graças ao Kindle Unlimited, vou acabar lendo sim. Afinal, quase qualquer coisa de graça vale a pena. q

O livro continua com a saga de Ceony sob os cuidados de seu mestre, Emery, e seus ensinamentos e paixão platônica. E isso, por si só, já é uma das coisas que mais me incomoda em toda a história dessa trilogia.

Já deve ser claro para todos que me acompanham por aqui que eu não gosto de romance. Não preciso nem dizer o que eu acho do romance piegas, em que a mulher é considerada nada mais do que a cuidadora do lar – cozinhar, lavar roupas, cuidar da casa e do seu marido. Argh… É de revirar o estômago.

E, veja bem, não me importo nem um pouco com o fato de que Ceony ama cozinhar. Se ela ama, que faça, mas miga autora, deixa eu te contar uma coisa: ela tinha o meu respeito quando não se importava em se maquiar e se vestir com as melhores roupas apenas para estar no mesmo lugar que o Emery. Agora que ela só faz isso? Perdeu completamente meu respeito.

Os inimigos que Ceony acaba enfrentando – porque ela é a protagonista afinal, não importa que só tenha 19 anos ou que não faça a mínima ideia de como possa lutar contra os inimigos ou mesmo que não tenha uma quantidade considerável de conhecimento sobre sua própria magia – continuam sem muita motivação ou profundidade.

E, é claro, assim como no primeiro livro Ceony consegue a proeza de descobrir a única forma possível de vencer…

Os pontos negativos dessa saga são muito maiores que os positivos, o que realmente me deixa triste, porque existia muito potencial.

Mês que vem leio o último livro da trilogia e posso dar por encerrada esse triste momento em minha vida. Porque é preciso muito mais do que isso para que eu abandone as sagas que começo.

3/5 estrelas e muita decepção.