Baratas

Sinopse: O detetive Harry Hole chega a abafada Bangcoc. Sua missão: evitar um escândalo. O embaixador norueguês foi encontrado morto em um hotel barato, e aparentemente a família dele está escondendo algo importante. Harry, além de preservar o sigilo das investigações, percorre bares, templos budistas e casas de ópio em busca das peças desse quebra-cabeça, mas aparentemente ninguém quer saber de fato o que aconteceu. Quando o detetive põe as mãos em um vídeo bombástico de circuito interno de TV, as coisas se complicam. O homem que lhe entrega a fita desaparece, e outro diplomata é apunhalado. O policial logo descobre que grandes políticos podem ter segredos aterradores, e, à medida que se aproxima da verdade, aumenta o risco de ele se tornar a próxima vítima.

Realizei esta leitura há algum tempo e devo dizer que foi uma leitura das mais interessantes. Mais pelo fato de que por algum motivo que não sei explicar bem qual é, quando eu pensava em pegar o livro para ler sentia uma preguiça interminável dele, mas que quando literalmente o pegava, não conseguia mais largar o livro.

Assim como a maior parte dos livros investigativos em que o detetive é muito impressionante, existe uma parte da investigação que não temos acesso, para que a descoberta final do detetive seja ainda mais fantástica.

E isso é algo que me incomoda bastante nesse tipo de livro, porque fico com a impressão que se existisse uma investigação real, o personagem não seria tão fantástico assim.

No mais, essa leitura foi muito viciante. Ver o Harry tentando lidar com os seus fantasmas e monstros enquanto investiga um assassinato que não pode ser divulgado à população, é simplesmente divertidíssimo!

3,5/5 estrelas e com bastante ansiedade para ler o próximo!

Advertisements

O Guerreiro Pagão

Após um incidente envolvendo um abade, Uhtred, um dos últimos senhores pagãos entre os saxões, se vê atacado pela Igreja e por seus seguidores. Sem suas terras e com poucos homens, tudo que lhe resta é colocar um ousado plano em prática: recuperar Bebbanburg, a fortaleza onde cresceu e que foi tomada por seu tio. Porém, o que Uhtred não sabe é que sua missão pessoal vai colocá-lo num ardil capaz de reacender o confronto entre saxões e dinamarqueses, que pode selar de uma vez por toda o destino da Britânia e de sua rivalidade com Cnut.

Sinopse: Após um incidente envolvendo um abade, Uhtred, um dos últimos senhores pagãos entre os saxões, se vê atacado pela Igreja e por seus seguidores. Sem suas terras e com poucos homens, tudo que lhe resta é colocar um ousado plano em prática: recuperar Bebbanburg, a fortaleza onde cresceu e que foi tomada por seu tio. Porém, o que Uhtred não sabe é que sua missão pessoal vai colocá-lo num ardil capaz de reacender o confronto entre saxões e dinamarqueses, que pode selar de uma vez por toda o destino da Britânia e de sua rivalidade com Cnut.

Último livro lido para a primeira semana da MML 2018 e para o segundo desafio dos Diários dos Leitores. E com certeza essa é uma das sagas que eu terminarei esse ano ou eu não me chamo Tifa!

Acho que todos já se cansaram de me ouvir falando o quanto eu amo As Crônicas Saxônicas e o quanto o tio Bernard é um escritor fantástico – com certeza um dos meus autores favoritos da vida.

Muito menos precisam continuar escutando que o Uhtred é o melhor personagem que eu já conheci na minha vida – seguido de perto pelo Victor Vale, assumo.

MAS MEU DEUS DO CÉU! O Uhtred é o melhor personagem do universo e eu amo ver como ele se fode lindamente! … Wait… What?

Então… É isso mesmo, coração. O Uhtred é um daqueles personagens que é muito inteligente e forte e já está com 50 e tantos anos, mas com disposição de 15, topando os maiores perrengues do universo e ainda assim, conseguindo vencê-los. Ou quase.

Na verdade parece que ele mais se ferra do que consegue alguma coisa na vida, SÓ QUE É ISSO QUE DEIXA A COISA MAIS REAL! *3*

Entendam… Eu não quero ver um personagem como o Naruto, o cara mais foda do universo que vence todos os inimigos, até aparecer aquele que o força a treinar e ficar ainda mais forte. Isso não é nem um pouco verossímil. O que eu quero ver é um personagem crível, que passa pelos maiores problemas, sem conseguir sequer imaginar se é possível vencer alguma coisa, mas que enfrenta o problema de frente e consegue superá-lo.

E é por isso que amo Uhtred. ❤

Foi uma leitura intensa que me deixou completamente sem fôlego e que terminou com o pior dos cliff hangers que já vi na minha vida e estou precisando de todo o auto-controle do universo pra não terminar a saga de uma sentada só.

4/5 estrelas e favoritadíssimo.

Artemis Fowl: A Colônia Perdida

Sinopse: Dez mil anos atrás, humanos e fadas travaram uma grande batalha na ilha mágica da Irlanda. Quando ficou claro que as fadas não poderiam vencer, elas decidiram levar sua civilização para os subterrâneos e se esconderam dos humanos. Todas as famílias de fadas concordaram, menos uma: os demônios. Sua ilha ficou perdida no limbo, mas está lentamente voltando à Terra. Somente uma pessoa pode prever quando e onde será a materialização: Artemis Fowl.

E segue a releitura de Artemis Fowl!

Neste livro já começamos com o Artemis envolvido com uma questão aleatória do mundo da magia, agora relacionado à oitava família de seres mágicos, os demônios.

Durante a mesma guerra contra os humanos que levou as fadas a se esconderem na crosta terrestre, obrigou os demônios a sumirem com sua ilha através de uma magia de tempo, deslocando a ilha para um local fora do tempo.

Confuso? Demais, mas o nosso querido gênio do crime conseguiu criar uma fórmula matemática para descobrir onde e quando os demônios fariam suas materializações. E ele não foi o único.

Uma das coisas que me deixou de certa forma entristecida com a releitura dessa saga é notar que há algumas discrepâncias entre cada livro. Em A Colônia Perdida somos apresentados à uma humana que encerra o livro de certa forma envolvida com Artemis e companhia, porém ela não é citada novamente após este livro. Pelo menos não em O Paradoxo do Tempo, aguardem cenas dos próximos capítulos.

Isso mostra que, aparentemente, a cada encerramento o autor cogitou parar a história por ali, mas logo já começava um novo livro. E, por mais que eu ame esse universo e esses personagens, não sei dizer se é uma coisa que me deixa 100% feliz em saber que o autor não lutou pela sua história como ele pretendia que se desenrolasse.

Esse foi o primeiro livro da releitura que sofreu uma alteração de nota em relação à primeira leitura. Como já disse, estou bem mais exigente do que antigamente, então achei válido fazer essa alteração.

De 4 estrelas, baixei para 3,5/5 estrelas por alguns fatos que são bem forçados nessa história. Ainda assim, favoritado.

Artemis Fowl: A Vingança de Opala

Sinopse: Artemis Fowl está de volta! Sem lembrar de nada sobre o Povo das Fadas, ele se vê às voltas com o diabólico plano de vingança de Opala Koboi. Para piorar, a capitã Holly torna-se fugitiva da LEP, depois de cair em uma arapuca. Só os dois, com a ajuda de Butler e Palha, podem impedir que Opala destrua o mundo das Fadas e dos Homens da Lama. Dessa vez, Ártemis está diante de uma adversária tão esperta quanto ele. Será um plano genial será suficiente para salvá-los?

Livro escolhido para o quinto desafio da Book-Tube-A-Thon: Ler um livro enquanto usa um chapéu durante toda a leitura do livro. Como já disse, dos 7 desafios da Book-Tube-A-Thon, só consegui fazer os dois primeiros desafios porque o mesmo livro foi utilizado nos dois…

Mas enfim…

Mesmo não tendo conseguido concluir o desafio no tempo adequado, fiz questão de terminar a leitura de Artemis Fowl: A Vingança de Opala enquanto usava meu chapéu oficial do Chapeleiro Maluco. Nem preciso dizer que meus pais acharam que eu estava louca enquanto usava o chapéu, não é mesmo?

A releitura de Artemis Fowl está sendo uma experiência agridoce. Eu continuo amando todos os livros, porém agora estou mais chata exigente com o que leio, então acabo esperando mais dos livros. O que significa que, por mais que continue amando esse universo e essas personagens, não consigo deixar de notar aquelas falhas na narrativa.

Ainda assim, o livro foi muito divertido e sigo gostando da forma como o Artemis e amigos conseguem resolver seus problemas.

4/5 estrelas e favoritado.

Artemis Fowl – O Código Eterno

Sinopse: Artemis Fowl construiu um supercomputador – o Cubo V – a partir de tecnologia roubada do povo das fadas. Em mãos erradas, ele poderia destruir tanto os homens quanto os seres encantados. Mas não há por que se preocupar, pois Artemis, como sempre, tem um plano brilhante. Ele não quer usar sua invenção, quer apenas chantagear um inescrupuloso empresário americano que tem ligações com a Máfia. O encontro é em um restaurante no centro de Londres, apinhado de turistas. Artemis será escoltado por Butler, seu invencível guarda-costas. O que poderia dar errado…?

Eu juro que não lembrava o quão intenso era esse livro! ❤

Artemis, agora com 13 anos e com os dois pais saudáveis, começa a se decidir se pretende continuar com a vida de crime ou se seguir um caminho mais tranquilo, um pouco mais dentro da lei, seria mais interessante.

Só que é claro que ele precisa fazer um último trabalho antes de se aprumar, não é mesmo? E, obviamente, este último trabalho será tudo menos tranquilo.

Tudo começa a dar errado quando Artemis e Butler se mostram excessivamente confiantes, quase desleixados. As escolhas que foram feitas quase cobram um preço muito grande de Artemis.

E, como já não era de se estranhar, Artemis precisará de toda a ajuda do povo das fadas que ele puder receber, uma ajuda que exigirá dele muito mais do que ele está disposto a pagar.

A narrativa do tio Eoin é tão fantástica que não consegui largar o livro enquanto não o terminei – o que significou ir dormir de madrugada… :3 – e devo dizer que acompanhar o crescimento do Artemis é uma das coisas mais maravilhosas que qualquer pessoa pode fazer.

4/5 estrelas, favoritado e muito empolgada pra continuar!

PS: Estou tentando voltar ao esquema de postagem regular, mas como o final de maio foi conturbado, talvez precise dessa primeira semana de junho para voltar aos conformes…

Tequila Vermelha

Sinopse: Jackson “Tres” Navarre retorna para sua cidade natal dez anos após o assassinato de seu pai. Porém, o caminho para as respostas em San Antonio, Texas, é bem mais difícil do que se pensava. Encontros com a máfia, jogos políticos, corrupção e dramas familiares tentarão desviar Tres da verdade ou matá-lo, o que acontecer primeiro.

Livro escolhido para o item Um livro indicado por alguém, da MLO 2018 – só faltam 2 livros pra terminar a maratona e uma semana pra ler, acho que vai dar certo! – e foi uma escolha perfeita, já que este é o livro da minha leitura de maio para o projeto The Living Book Jar, criado pelo Rique. Já é a minha terceira leitura! O que me lembra que preciso perguntar para o Rique qual será a leitura de junho…

Para quem me acompanha, sabe que eu tenho uma devoção por certos autores e o Tio Rick é um deles, com toda a certeza! Então eu já queria ler este livro tem bastante tempo, mas nunca conseguia encaixá-lo por conta das outras leituras que eu queria muito ler…

Tequila Vermelha é um livro policial, adulto. E como eu basicamente conheço o Tio Rick por conta dos livros que envolvem deuses e adolescentes meu pai até perguntou quais deuses estavam envolvidos nesse livro, fiquei muito curiosa para saber se a narrativa do Tio Rick mudaria muito por ser um livro adulto.

A resposta é, não mudou.

Pelo menos no que remete ao desenvolvimento das personagens, na narrativa insanamente envolvente, no gostinho de quero mais.

Outra coisa que me deixou MUITO feliz foi perceber que, mesmo sendo um livro adulto, a leveza, as piadas e o personagem principal idiota e cabeça dura estavam ali. Todos os elementos que tornam Tio Rick o Tio Rick.

Tres é filho do delegado Jackson Navarre, assassinado dez anos antes na frente do filho, e que está voltando para casa depois de dez anos trabalhando como detetive particular de uma grande empresa de advocacia em São Francisco. Ele retorna para San Antônio pelo chamado de sua ex-namorada e ele volta com apenas um objetivo: solucionar o assassinato de seu pai.

Acontece que Tres acaba envolvido em algo muito maior do que ele imaginava, sendo perseguido por diversos bandidos, foi atropelado, serviu de alvo em tiroteios e tudo o que acontecia de errado na cidade parecia estar ligado a ele.

A história de Tres foi tão envolvente que li o livro em poucos dias. Pelo que entendi, é uma saga com 7 livros Tio Rick e suas sagas… e fiquei muito interessada em continuar acompanhando a história dele.

4/5 estrelas

Artemis Fowl – Uma Aventura no Ártico

Sinopse: Artemis Fowl – Uma Aventura no Ártico , narra a vida do anti-herói mal-humorado e pessimista criado pelo irlandês Eoin Colfer, numa história que mistura ação, internet e magia. Neste livro, Artemis está ainda mais rico, por conta do ouro que roubou do povo das fadas, mas uma coisa ainda preocupa o astuto criminoso mirim – o desaparecimento de seu pai, o Sr. Fowl, feito prisioneiro pela máfia russa por dois anos e oficialmente dado como morto. Mas o coração de Artemis Jr. se nega a acreditar no fim trágico do pai.

Livro escolhido para o item Releitura da Maratona Literária de Outono 2018 criada pelo Geek Freak. Nada mais justo do que marcar presença em mais uma maratona literária do GF, afinal, eu sou a louca das maratonas…

Para esta maratona em específico, eu roubei lindamente na TBR, e só adequei os livros que já ia ler neste mês de maio para os itens da maratona. Ou seja, lerei 5 livros até o dia 02/06. – que é quando a maratona se encerra.

Acho que deu pra perceber que eu meio que caguei no esquema de postagem aqui do blog, não é mesmo? Bem… aconteceu que eu ia ler um livro emprestado por uma colega de trabalho que está saindo de licença e acabou que eu dropei o livro porque não consegui ler nada. Daí acabei atrasando as leituras e por conseguinte as resenhas… Mesmo tendo lido Artemis FowlAce of Shades antes de hoje, mas não tive tempo de escrever a resenha… Enfim.

Artemis Fowl já está mais velho neste livro e as coisas começam a ficar sérias para as fadas, afinal, não é apenas com humanos que eles precisam se preocupar. Existem elementos que eles mal podem imaginar que acabam trazendo o caos para este livro.

No primeiro livro, Artemis conseguiu que sua mãe fosse salva, então continuamos com a saga de salvar a família do gênio do crime mais interessante do universo. Aqui ele começa a encontrar pistas para salvar a vida – ou o que resta – do seu pai, que sofreu um atentado na costa da Rússia e está desaparecido há alguns anos.

O que mais me impressiona com a história do tio Colfer é que não é só o Artemis que está evoluindo como personagem. Todas as personagens do livro como um todo apresentam crescimento no decorrer do livro. Até mesmo personagens secundárias ou os inimigos são profundos, possuem motivações.

Artemis Fowl continua sendo uma série queridinha da minha vida e estou muito ansiosa para reler os próximos livros e poder, finalmente, descobrir como essa saga se encerra. Muita ansiedade!

4/5 estrelas e favoritado.