A Louca dos Gatos

Sinopse: A terceira coletânea da cartunista Sarah Andersen traz novas tiras que retratam os desafios de ser um jovem adulto num mundo cada vez mais instável.
Os quadrinhos de Sarah Andersen são para todos que precisam lidar com níveis de ansiedade cada vez mais alarmantes, que sentem que o mundo está à beira do colapso e que se esforçam para sair ao menos um centimetrozinho da zona de conforto. Ou seja, é basicamente um manual de sobrevivência para os dias de hoje.
Além de suas tirinhas sagazes e encantadoras, a autora, que já reuniu mais de 2 milhões de fãs no Facebook, traz também ensaios ilustrados com dicas para os artistas aspirantes aprenderem a lidar com críticas, ignorarem os trolls na internet e não desistirem de mostrar seu trabalho.

Presente-pagamento que ganhei da minha amiga Nath por nossos mil e um empréstimos para compras das mais diversas que fazemos. Se já nos pagamos tudo? Não faço ideia, mas estamos aí, sempre pagando uma a outra com livros e outros mimos… Fogo vivo ❤

Sempre quis ler algum desses quadrinhos super fofos da tia Sarah, só que nunca realmente me atentei para comprar as coletâneas, então… é, eu sofro com essa “perda de memória” assim mesmo. Ao mesmo tempo que estou louca para comprar uma coisa, compro outra.

Foi uma leitura fantástica, super rápida e fluida. Me reconheci mais do que achei ser possível nos quadrinhos e com certeza quero o restante da coleção! O mais engraçado das tirinhas é a forma irreverente que a autora usa para tratar de assuntos sérios. Ai, ai… Adorei!

Essa é mais uma das autoras autobuy da minha vida… ❤

4/5 estrelas e favoritado.

Advertisements

Rio 2031

13. Rio 2031

Hoje não tem sinopse, porque não tem no Skoob e no Goodreads está em italiano. q

Iniciamos mais um Desafio de Leitura! Agora é 2018! Amém sem or!

Rio 2031 foi a HQ escolhida para o item 13. Um livro que tenha ilustrações. Primeiro porque eu ainda não tinha lido essa HQ, obviously, e segundo porque quem ilustra é o Picolo e eu sou apaixonada pelo traço dele e, porque eu sou uma boa minion, acabei recebendo uma ilustração na contracapa de Ícarus and The Sun, que é tipo a minha webcomic favorita do Picolo!

A história de Rio 2031 me lembrou um pouco do pouco que eu conheço a história de Overwatch, um jogo da Blizzard. O que eu quero dizer com isso: ambos se passam em um futuro distópico em que as pessoas desenvolvem poderes e se dividem entre dois grupos que batalham entre si. No caso de Rio 2031 temos a The Nation lutando contra a New State.

Em específico nessa primeira história, o Rio de Janeiro se tornou alvo do conflito entre as duas potências.

Ah! Uma grande diferença entre OWRio 2031 é que os seres com super poderes em Rio acabam tendo prazo de validade. Os Timeds – como esses seres são chamados – possuem um prazo em que eles conseguem viver e lutar e ajudar sua respectiva facção. Inclusive, um dos Timeds está morrendo. Spoiler alert!

No geral, gostei bastante dessa história e fiquei curiosa para acompanhar o restante e para entender de qual que é essa história de que a HQ é o spin-off de um jogo. Já quero!

4/5 estrelas!

Morte Edição Definitiva

Morte

Sinopse: Jovem, linda, pálida, gótica e… alegre? A Morte imaginada por Neil Gaiman veio para revolucionar nosso conceito (e preconceito) a respeito da Ceifadora. A irmã mais velha de Morfeus ganhou uma roupagem contemporânea e um conceito arrebatador para nascer como coadjuvante e roubar a história, tornando-se protagonista de duas minisséries e outras HQs, além de ter participação de destaque na série de seu irmão! Esta Edição Definitiva reúne pela primeira vez no Brasil todas as histórias estreladas pela personagem, incluindo O Som de Suas Asas (primeira aparição) e Fachada, publicadas originalmente em Sandman; as minisséries O Alto Preço da Vida e O Grande Momento da Vida; e as histórias Um Conto de Inverno (Vertigo Winter’s Edge 2), A Roda, Morte e Veneza (Noites Sem Fim) e A Morte Fala da Vida, uma HQ educativa sobre sexo seguro. Além de roteiros de Neil Gaiman, a edição tem artes de Chris Bachalo, Mark Buckingham, Mike Dringenberg, P. Craig Russell, Dave McKean e mais! Como extras, a edição traz o roteiro de Sandman 8; uma imensa galeria de pin-ups e diversas informações sobre colecionáveis da Morte que todos gostaríamos de encontrar um dia!

De todos os Perpétuos, creio que a Morte é a minha favorita. Claro que eu tenho um amor por todos os sete, de uma forma que não consigo deixar de torcer por eles, até mesmo pel@ Desejo.

A Morte, entretanto, é a que mais me faz pensar, que me fez ter uma nova visão sobre a vida e a morte, sobre a humanidade, sobre, bem, tudo.

Ela é uma personagem profunda, que tem várias nuances e faces, todas elas dispostas de tal forma que se complementam, que se fundem para criar uma personagem maravilhosa, que ama a vida e a sua família, que tenta ajudar as pessoas.

É também quem tem um trabalho difícil.

Ela nos encontra quando nascemos e está lá para nos receber quando morremos, sempre à disposição para conversar, para mostrar um sorriso gentil enquanto fazemos a travessia para a terra sem sol.

E para saber exatamente o preço de sua dádiva, ela escolheu viver um dia a cada cem anos, para nunca esquecer o quanto o seu trabalho é importante, o quanto cada vida vale.

Já li muitas estórias, muitos quadrinhos, mas nenhum trabalho se iguala ao mundo dos Perpétuos. Neil Gaiman construiu um universo derivado do nosso tão maravilhoso e real, tão fantástico… É realmente uma obra prima.

Sobre a edição definitiva, posso dizer que me impressionei com ela. Mesmo com várias histórias que eu já tinha lido, há algumas que eu nunca havia visto antes e que me deixou mais do que feliz com a surpresa.

Li Morte Edição Definitiva para o mês de setembro do Mini Desafio de Leitura, sempre fico impressionada quando leio o livro no mês correto… Hahahaha!

5/5 estrelas.

Logan

 

Logan

Sinopse: Em um futuro próximo, um cansado Logan cuida do doente Professor Xavier em um esconderijo na fronteira mexicana. Mas as tentativas de Logan de se esconder do mundo e de seu legado são interrompidas com a chegada de uma jovem mutante, perseguida por forças sombrias.

Quando digo que este ano está sendo o ano para quebrar preconceitos e paradigmas, nem eu imaginava que seriam tantos.

Finalmente assisti ao Logan, último filme em que Patrick Stewart e Hugh Jackman atuaram como seus personagens Charles e Logan. E, devo dizer que, me emocionei muito mais do que imaginei que emocionaria com o filme.

Para quem cresceu assistindo aos desenhos e filmes dos X-men, bateu um certo desespero e tristeza em saber que esses atores não mais interpretarão esses personagens, eles são mais do que meros atores – até porque são atores mais do que fantásticos – eles se tornaram seus personagens.

Mas, enfim… Momento tristeza deixado de lado, preciso dizer o motivo pelo qual demorei tanto para assistir ao filme. E voltamos com tudo para o meu problema de ler a HQ.

Quando a Bruna me emprestou a HQ Old Man Logan, que conta a última história sobre o nosso X-men favorito, já imaginei que quando saísse o filme eu não gostaria dele. Afinal, a Fox não tem direitos sobre os outros personagens que aparecem na HQ – Bruce Banner, Hawkeye e outros mutantes – então já esperava que mudassem a história completamente.

E, como já disse e repito, não gosto muito quando os filmes são muito diferentes da história original. E por não gosto muito eu quero dizer que eu odeio essas adaptações.

Então, sim, evitei assistir quando lançou e adiei esse momento o máximo possível, na tentativa de esquecer o suficiente da história original para poder assistir ao filme sem esperar nada.

Acontece que não consegui esquecer, obviamente. Minha mente é simplesmente muito fantástica para guardar os detalhes mais estúpidos das histórias que eu leio agora, medicina que é bom…

E mesmo assim, eu adorei esse filme.

Sim, a história é diferente, não houve a guerra entre os mutantes, não houve divisão dos Estados Unidos entre os mutantes vencedores, não existe um Bruce Banner filho da puta que extorque dinheiro das pessoas que moram no seu lado do país, e não houve assassinato da família do Logan, ou o pedido de ajuda do Hawkeye para encontrar sua filha.

Mas mesmo tendo-se criado uma história completamente nova e diferente da original, ela foi consistente com os personagens, e foi consistente em sua própria narrativa.

No começo achei a ideia de uma filha para o Logan simplesmente demais. Algo muito forçado, ainda mais com o clone e todo o resto, mas… Aí me lembrei que a história inteira de Old Man Logan é baseada na vontade do Wolverine de conseguir dinheiro para salvar sua família das garras dos Banner. E, além disso, há também o desenvolvimento do relacionamento deles.

Afinal, para quem faz experimentos em mutantes colocando adamantium em seu esqueleto, não é muito fora da realidade pensar que poderiam criar mutantes no laboratório, não é mesmo?

All in all, eu ri, eu chorei e eu simplesmente adorei esse filme. 4/5 estrelas.

Nerd Loot

E depois de três exemplares da subscribing box nerd geek brasileira NerdLoot venho dar minha humilde opinião sobre ela.

Nerdloot

Sempre tive vontade de fazer parte dos exploradores – a forma carinhosa como a NerdLoot chama seus assinantes -, mas sempre me faltou verba, então ficava só na vontade. Só que isso mudou quando consegui assinar em dezembro de 2016 e assim mantive a assinatura até fevereiro de 2017.

A qualidade de cada loot varia, é claro, porém sempre conta com no mínimo uma camiseta da NerdUniverse e com itens sortidos sobre o tema. Uma coisa que achei bem legal foi que a NerdLoot traz imagens exclusivas em suas camisetas e pôsteres.

Mas… Honestamente? Na minha humilde opinião, não vale o preço.

Claro, once every blue moon temos duas camisetas por caixa, mas ainda assim, não vale a pena. Pelo menos não para mim.

Meu primeiro loot foi o 16, Beyond the space. Gostei bastante, vieram duas camisetas – uma do Han Solo e a Millenium Falcon, e outra sobre um buraco negro precisei pesquisar, porque não sabia, btw – além de trazer um broche de Star Trek, uma máscara para dormir dos DeathTroopers, um copo do Guia do Mochileiro das Galáxias e o pôster de Guardiões da Galáxia. Se eu fiquei decepcionada com a ausência de Doctor Who? Sim, mas achei o loot interessante.

O segundo loot foi o 17, The Greatest Assassins. Porta copos de Game of Thrones, cada um com uma imagem da morte de algum personagem com uma frase engraçadinha e o Martin rindo no verso; miniatura em metal da máscara do Hannibal Lecter – que eu ainda não sei o que fazer com ela, visto que não há uma forma de expô-la; porta chaves do Kill Bill em mdf e sem imagem – que eu consigo entender que foi por conta de direitos autorais, mas se existe esse problema, porque não outra coisa?; camiseta do Punisher – gracinha! adorei; e um ímã de geladeira do Assassin’s Creed – que eu achei desnecessário e, por mais que seja engraçadinho, deixou a desejar; pôster do Deadpool e o Lobo matando todos os personagens do universo. Foi… triste.

E o terceiro e último loot foi o 18, Time Travelers. Camiseta do De Volta para o Futuro com direito a Exterminador do Futuro e Donnie Darko – ainda não sei o que o coelho faz ali, o que só mostra que tenho que ler o livro e assistir o filme; miniatura da Ocarina do Legend of Zelda – Ocarine of Time – quem não jogou levanta a mão! o/; pôster do Chrono Trigger – acho que esse foi o loot que eu menos conheci as coisas nele… i.i; cadarço do The Flash – PARE DE MEXER COM A LINHA DO TEMPO BARRY; adesivo do Exterminador do Futuro, ele brilha no escuro, mas… meh; e a miniatura da TARDIS em mdf. É um bloco de madeira com um adesivo muito mal colado por cima. Brochante é pouco para descrever meu sentimento sobre essa TARDIS.

Como eu disse… Minha opinião pessoal é que, por mais que a ideia dessa mistery box seja interessante – e OH MEU DEUS! é brasileira -, a realização não é lá das melhores. De novo, consigo entender todos os problemas de direitos autorais e que isso é uma coisa cara, e que se fôssemos conseguir todas as coisas perfeitas como conhecemos iria ser uma coisa absurdamente cara, pra mim – eu, Alessandra de Paiva – não vejo muito sentido em continuar com a assinatura.

Poderia dizer que a camiseta, ao menos, paga pelo resto da caixa, mas… na realidade as camisetas da NerdUniverse vêm com o mesmo problema daquelas que você compra no site deles. Tudo bem, são estampas exclusivas para a NerdLoot, só que a cada caixa os tamanhos variam, a qualidade não é tão regular.

E vem novamente o problema do preço. R$70,00 por si só já é caro, somado o frete, torna-se quase abusivo. Se a caixa viesse pelo preço divulgado no site, diria que sim, a camiseta paga a caixa – afinal as camisetas no site costumam sair por 70 reais quando não em promoção -, somando-se os 30 reais de frete que eu pago, entretanto, torna-se uma assinatura cara e que, convenhamos, não há garantia de que eu gostarei do que vem nela.

Foi uma experiência interessante, gosto dos produtos da NerdUniverse, gostei no geral da ideia da NerdLoot e parabenizo a empresa pelo seu trabalho. Só que para mim, na minha atual conjuntura, não dá.

E eu ainda estou chateada pela TARDIS…

Quem sabe em um futuro em que eu esteja trabalhando e tenha mais condição para procurar conhecer as coisas que vêm na caixa eu volte a ser uma exploradora.

Enquanto isso não acontece…

Adeus e obrigada pelos peixes.

Arkham Asylum

24-arkham-asylum

Para o item 24. Um livro que tenha ilustrações li Asilo Arkham de Grant Morrison.

Sinopse: “Asilo Arkham – Uma Séria Casa em Um Sério Mundo” é um impactante conto de horror psicológico protagonizado por Batman e praticamente todos os internos do Asilo Arkham, o lar dos criminosos insanos de Gotham. Liderados pelo Coringa, esses pacientes – Duas-Caras, Chapeleiro Louco, Crocodilo, Cara de Barro, Espantalho e muitos outros – dominam as dependências do lugar e tomam como reféns seus empregados. Eles pretendem libertar os pobres funcionários, mas somente se uma condição for cumprida: o Homem-Morcego deve se entregar… e se tomar um deles!
Escrita pelo gênio dos quadrinhos GRANT MORRLSON (LIA Os Invisíveis, Novos X-Men) e lindamente pintada por DAVE McKEAN (Sandman, Mr. Punch, Cages), essa controversa narrativa gráfica acompanha Batman enquanto ele encara seus mais perigosos inimigos e seus piores demônios interiores.
A graphic novel mais bem-sucedida de todos os tempos de volta em uma edição especial, incluindo a revolucionária história na íntegra, seu roteiro completo com comentários do autor, layouts originais das páginas e um posfácio inédito da editora Karen Berger

Achei a história interessante, o Coringa é sempre um personagem que me instiga e a forma como ele provoca as reações do Batman me impressiona. Foi legal também porque mostra todos os inimigos que foram presos no asilo e o que aconteceu com eles.

Por mais que tenha adorado a história da transformação da casa em asilo, não gostei muito da reviravolta que colocaram em relação aos Arkham se não me engano é o sobrenome da família que morava na casa e donos do asilo, achei bem forçado.

All in all, foi uma HQ bem divertida de ler. 3/5 estrelas.

Loki

Loki.jpg

Acho que já disse algumas vezes por aqui que sou apaixonada pelo Loki, então, quando vi a HQ que conta a versão dos fatos do ponto de vista do Loki, não tive condição de deixar de comprar.

Como é bem possível imaginar, o Loki do universo cinematográfico Marvel é muito mais legal maoe? que o Loki dos quadrinhos. Mesmo assim, adorei ver que nessa história o Loki nem é assim tão filho da puta.

E eu fiquei com dózinha dele.

3/5 estrelas.