Clube Skoob

IMG_20171019_205623633

Eu sei que demorei, mas estou aqui para falar sobre essa caixinha cheia de amor e carinho que assinei. Essa foi a caixa de tema Embarque, o quarto tema enviado pelo Clube Skoob.

Preparados? No três!

Um…

Dois…

TRÊS!

IMG_20171019_205949841

O livro desse mês foi “Assassinato no Expresso do Oriente” da Agatha Christie, ele veio com uma jacket com a imagem do filme, assim como um marca página também com a imagem do filme e uma tag de mala com a mesma imagem. Como um livro extra, veio “Morte no Nilo”, também da Christie.

Além dos livros, vieram vários mimos! Como o tema é embarque e o livro tem alguma ligação com a França, temos uma miniatura – não tão mini – da Torre Eiffel e um protetor(?) de olhos para dormir.

E, para completar o pacote, teve uma caneca maravilhosa! Mais uma adição para minha crescente coleção de canecas! ❤ Muito amorzinho! *3* Não sei se vem só na primeira caixinha – afinal essa foi a minha primeira -, mas é tão fofinha! Uma garotinha loira, lendo um livro nas nuvens… Estou apaixonada!

Já esperando um dia mais frio – aqui em Goiânia parece que o inferno veio à Terra – para poder tomar o chá que veio na caixinha… ❤

All in all, devo dizer que me apaixonei por essa caixinha! Se eu tivesse condições, continuaria a assinar o Clube Skoob, afinal, sendo bem honesta, essa caixinha foi muito mais interessante que a malinha de setembro do Turista… -q

A caixinha de outubro já foi enviada, e as assinaturas para o mês de novembro, com o tema Halloween fechou tem alguns dias. Mas se vocês querem uma caixinha com surpresas lindas e de qualidade, o Clube Skoob é pra você!

Ah! Quase me esqueço de dizer! Agora o Clube Skoob tem um esquema de indicações. Para cada amigo que assinar a caixinha, a assinatura de quem indicou o amigo ganha desconto enquanto este amigo permanecer assinando. #FikDik 😉

Advertisements

Jovens que Brilham com a Luz Divina

IMG_20171019_134015936

O livro de hoje não possui sinopse, talvez por ser um livro baseado em preceitos de uma prática religiosa, ou talvez pela frase “Ensinamentos para os jovens da Sukyo Mahikari” ser o suficiente para descrever o livro.

Este foi o livro escolhido para o item 20. Um livro fora da sua zona de confortoJovens que Brilham com a Luz Divina, de Kotama Okada.

Não sou uma pessoa das mais religiosas, mas algum tempo atrás me interessei pela Sukyo Mahikari, uma religião que se baseia na passagem da Luz Divina para as pessoas.

É uma teoria muito interessante e meio que qualquer pessoa de qualquer crença pode fazer parte do Sukyo Mahikari – tendo-se em vista adequar alguns dos preceitos ali descritos para a crença que já carrega.

E, como podem ver pela foto, foi um livro que me fez pensar e refletir em muitos momentos – talvez até demais -, mas tiveram alguns momentos muito incômodos na leitura dele.

É um livro que foi escrito na década de 60-70, então muitas coisas ali descritas mostram um pouco da realidade da época. Sukuishi-sama – o líder religioso – tem muitos pensamentos que hoje em dia me causaram um pouco de angústia, como por exemplo, falar que os homens não podem ter atitudes femininas e as mulheres não podem ter atitudes masculinas. Houve ali uma condenação aos LGBTQ, às mulheres que não desejam ter filhos…

Como eu disse, houveram alguns problemas, mas nada que realmente afetasse a percepção do que era importante.

Há pontos interessantes e que chamaram a minha atenção pelo fato de serem tão atuais – mesmo o livro já tendo aí seus 40-50 anos.

De todo modo, foi um livro que dei 3 estrelas. Valeu a reflexão.

Assassinato no Expresso do Oriente

IMG_20171012_151509_806

Sinopse: Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.

Devo dizer que estou apaixonada por esse livro!

Ao contrário do que aconteceu com as minhas duas primeiras leituras – que foram facilmente desvendadas antes mesmo do final do livro – desta vez fiquei completamente entretida, tentava entender o que estava acontecendo, mas como o caso tinha a ver com outro caso inventado, foi difícil desvendar.

Hercule Poirot se mostrou um personagem muito mais interessante aqui do que nas outras histórias e talvez tenha a ver com o fato de ser romance e não roteiro teatral, mas adorei acompanhar a forma como o detetive entrevistava cada um dos passageiros, como sua mente funcionava.

O assassinato em si tem uma resolução tão fantástica que só mesmo Poirot para chegar a essa solução! Foram muitas pistas estranhas e que se contradiziam para conseguir criar uma linha de raciocínio que fizesse algum sentido.

E, mesmo sendo tão absurdo, foi um caso interessante.

Claro que estou um tanto ansiosa para ver o filme agora, mas tenho minhas dúvidas se a adaptação será boa. Tem a Dame June Dench, então tenho minhas esperanças!

Este foi um dos livros que vieram na minha caixa do Clube Skoob – que eu falarei mais sobre em breve, acreditem – e devo dizer que se não houvesse uma lista de livros planejados para esse mês, já acrescentaria Morte no Nilo!

Adorei a edição em capa dura e agora devo ser a louca das compras e comprar todos os livros dessa mulher. ❤

Agatha Christie ganhou uma nova fã.

A Senhora da Magia

As Brumas de Avalon - 01

Sinopse: Em “As Brumas de Avalon”, Marion Zimmer Bradley reconta a lenda do rei Artur, descrevendo os seus esforços para unificar a Bretanha contra a invasão Saxônica, a partir da perspectiva das poderosas mulheres do reino de Avalon e Camelot.

Li esse livro em janeiro desse ano e não sei o que diabos aconteceu, mas não fiz resenha dele… Como não tenho condições de reler o livro para fazer uma resenha mais perfeita, vou escrever sobre o que eu me lembro.

Esse foi o livro escolhido para o item 22. Um livro com uma ótima linha/parágrafo inicial. O parágrafo inicial é o seguinte:

Em vida, chamaram-me de muitas coisas: irmã, amante, sacerdotisa, maga, rainha.

O livro conta a história da Saga do Rei Arthur, é mais uma narrativa sobre Arthur, Camelot e os Cavaleiros da Távola Redonda. O grande diferencial desse livro é que ele é contado por Morgana.

Morgana é meia irmã de Arthur, ambos filhos bastardos do Grande Rei Uther Pendragon. Morgana vai para a ilha encantada de Merlin para ser treinada nas artes do druidismo quando ainda é uma jovem linda. Lá ela começa seus treinamentos e se desliga do “mundo real”, vivendo de acordo com os preceitos do druidismo.

Acontece que existe um ritual que ela participará, o ritual do deus chifrudo, em que ela, como sacerdotisa e representando a deusa esposa do deus chifrudo, deverá se deitar com o rapaz vencedor da grande caçada ao veado branco.

Eles se unem sob a luz da lua e não se conhecem, ambos sentindo um poder imenso vindo dos deuses. No dia seguinte, porém, Morgana descobre que o rapaz com quem se deitou é na verdade Arthur, seu meio irmão. Quando eles percebem esse fato, se desesperam.

Creio que foi a partir deste momento que as lendas do amor entre Morgana e Arthur se iniciam.

De qualquer maneira, achei bastante interessante a forma como a história é recontada, pelo poder que Morgana possui e de como esse poder acaba mudando a realidade em que ela se encontra. A magia está presente aqui, de uma forma muito mais intensa do que em O Rei do Inverno, no qual a magia é tratada quase como superstição.

Foi uma leitura interessante e me lembro de ter gostado do que li. Entretanto, como eu já disse, faz muito tempo que li e não tenho certeza sobre os detalhes do livro em si. Sei que nesse primeiro volume um personagem masculino, que imagino ser Lancelot, já foi apresentado.

3/5 estrelas.

TBR Outubro

IMG_20171010_193159669

Eu sei, gente, eu sei que deveria ter um post no sábado dia 07, mas eu e Emma não estamos conseguindo nos entender. Calma que eu explicarei melhor quando acabar a leitura do livro, ok? 😉 E mesmo assim, não teria como postar a TBR no sábado, porque os correios não colaboram, não é mesmo?

Também sei que tem livro repetido da última TBR, mas fazer o que se não consegui ler os livros pra TBR em Cacos? Vamos seguindo com o plano e colocando os livros pra ler, não é mesmo?

Talvez a próxima TBR seja ainda menor, porque as provas de residência estão se aproximando com muita velocidade e eu ainda tenho que estudar mais pra conseguir seguir o sonho. Então… Tenham paciência, meus amores!

Sem mais delongas, à TBR!

Esse mês pretendo ler os dois últimos livros que recebi pelo Turista Literário, que são A Filha das Trevas – que já foi divulgado a continuação para um futuro bem próximo pela Plataforma 21 – e A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil – QUE EU COMPREI NA BATALHA DOS YOUTUBERS! MEREÇO?

Como pretendo ler os sete livros de Harry Potter esse ano, continuamos com O Cálice de Fogo. Nos próximos meses teremos ainda mais Harry Potter e Percy Jackson. E aí ano que vem eu releio outra coisa… -q

Minha primeira – e talvez única por enquanto – caixinha do Clube Skoob veio com o tema Embarque e recheada de lindezas! Mais sobre isso na quarta, quando farei review sobre ela -q E com dois livros. Sim, DOIS livros. Assassinato no Expresso Oriente, que será a minha leitura do mês pelo simples motivo de que está saindo filme -q, e Morte no Nilo. Este último vai pra TBR Jar!

*Momento pausa: Decidi fazer uma TBR Jar, um pote com o nome dos livros que ainda não li e que tenho aqui em casa, porque descobri uma pequena pilha de 120 livros – entre comprados por mim, pelos meus pais e pelo meu irmão – que ainda não li… E para ter alguma surpresa no mês, a partir do mês que vem sempre terei um livro do pote nas minhas TBRs…*

Mesmo tendo meio que aberto mão do Desafio de Leitura 2017 – não estou lendo livros pra ele já há algum tempo, pelo menos não na mesma velocidade/frequência que antes – continuarei com um livro por mês. Ou seja, ainda teremos 3 livros do DDL. O de outubro é o livro Jovens que Brilham com a Luz Divina, livro que fala sobre a Mahikari – que é como se fosse uma religião, e eu não sou uma das pessoas mais religiosas assim, mesmo tendo a minha crença.

E, para encerrar, A Divina Comédia, mais um livro do Mini Desafio de Leitura, junto com Emma, mas esta é uma outra história e um outro momento, pretendo terminar Emma antes do fim do ano, então tenho até 31/12…

Na verdade, ainda tem um outro livro, o segundo livro que recebi no intercâmbio literário, mas não tirei foto e esqueci o título exato dele. Avisarei na resenha qual é, certo?

E essas serão, com fé nos deuses tudo, minhas leituras de outubro. Gentes… eu preciso conseguir terminar de ler esses livros… Não aguento mais tanto flop

 

1977: Enfield

IMG_20170924_231915_668

Sinopse: Enfield, subúrbio de Londres. Na fria noite de 31 de agosto de 1977, a vida de uma família simples e comum mudaria para sempre. Pequenas batidas e sons inexplicáveis, móveis caindo sem nenhum motivo aparente, esse parecia um verdadeiro caso de poltergeist. Desde os primeiros dias, os pesquisadores de atividades psíquicas Maurice Grosse e Guy Lyon Playfair — que viveu muitos anos no Brasil, pesquisou a vida do médium Chico Xavier e tem experiência e conhecimento profundos sobre a popularização do espiritismo e o sincretismo cultural do nosso país — acompanharam o caso e conseguiram documentar mais de seiscentas páginas de transcrição de fitas cassetes e registros em vídeo dos surpreendentes e assustadores eventos, aqui relatados exatamente como aconteceram.

Há anos, o caso Enfield é considerado um marco entre os episódios sobrenaturais mais bem documentados, chamando até hoje a atenção da mídia britânica e internacional, de diversos outros pesquisadores e, inclusive, de Ed e Lorraine Warren, além de ter inspirado os filmes Poltergeist e Invocação do Mal 2. Contudo, apenas com 1977 – Enfield é possível conhecer todos os detalhes do início ao fim deste caso que durou três anos — e com um final tão surpreendente quanto os das melhores histórias de terror.

Eu, honestamente, tenho que parar de pegar livros que eu não faço ideia sobre o que sejam e imaginar um tipo de história para eles…

Em resumo: Darkside Books publica livros interessantes, geralmente com uma pegada mais pro terror do que outras editoras – claro que temos o selo DarkLove, com livros escritos por mulheres e com alguns livros fofinhos como EcosEm Algum Lugar nas Estrelas, só que em geral os livros tem uma pegada de suspense e terror.

Acontece que 1977: Enfield não é exatamente um livro de terror. Ou suspense. É como se fosse um estudo científico sobre a atividade sobrenatural conhecida como Poltergeist. E esse foi o problema que tive com o livro em si… q

E em momento algum quero dizer que o livro seja ruim, não é isso! É só que eu esperava um livro de terror e fui agraciada com um livro de estudo científico.

Os eventos continuam sendo muito interessantes e tudo o que aconteceu com essa família foi impressionante e de certa forma assustador, mas não houve nenhuma resolução real do caso. Ainda não é sabido o que causou a Síndrome Poltergeist, o que a fez ir embora, se existe realmente alguma coisa além do nosso mundo conhecido.

Mesmo dizendo que o livro não foi assustador – ao menos não como eu queria que ele fosse -, a história contada ali foi muito mais assustadora que qualquer ficção porque ela foi real. O livro consegue muito bem fazer o que se propõe que é demonstrar cientificamente a possibilidade real de que exista algo que interage com a nossa realidade. Eu, ao menos, fui convencida.

Foi um livro interessante de ser lido e gostei dele, mas senti como se uma porta tenha sido entreaberta e deixado apenas o vislumbre de uma nova realidade. Gosto de finais em aberto, mas assim… Nem tanto. q

Esse foi o livro que recebi na minha caixinha da Bem-Te-Li do mês de agosto. O livro é da Darkside Books, dona do meu coração, e não tenho absolutamente nada para reclamar da edição. Capa dura, contracapa cheia de chaves adoro chaves, acho que se fosse para comentar algo, é só sobre a falta dos marca-páginas relacionados ao livro, tipo do Circo Mecânico TresaultiLabirinto. Mas como não é um padrão em todos os livros, acho que é só chatice minha mesmo.

Primeiro livro que li para a Maratona TBR em Cacos 2017 para o item suspense/policial/terror. Agora vamos para o próximo livro!

3/5 estrelas.

O Lado Bom da Vida

O Lado Bom da Vida

Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele ‘lugar ruim’, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um ‘tempo separados’. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.

Recebi este livro pelo Intercâmbio Literário, na verdade recebi dois livros, mas como o tempo está curto, lerei o segundo livro no mês que vem.

Devo dizer que quando assisti o filme e me deliciei com as atuações maravilhosas, não fiquei de todo curiosa para ler o livro. E eis que recebo o livro no conforto do meu lar. Aí não teve jeito, não é mesmo?

Fui ler o livro.

Comecei o livro no dia 18/09 e o terminei no mesmo dia. Foi uma leitura que me surpreendeu, a forma como o problema de Pat e de Tiffany são mostrados no livro foi de um cuidado tão grande que despertou um pouco o meu lado mais psicólogo. Para quem não sabe, eu fiz alguns semestres de psicologia antes de fugir pra medicina.

A história é diferente do filme, afinal, ele foi só inspirado no livro. E mesmo que os temas tenham sido tratados de uma forma diferente, acho que ambos são bons.

É claro que me apeguei muito mais aos personagens no livro do que no filme. Não sei porque, mas tenho essa tendência, prefiro os personagens no livro e me apego mais a eles.

Foi um livro que foi uma ótima surpresa!

4/5 estrelas.