Oração ao Tempo

I think I’ll figure it out with a little more time
Turn off the lights – Panic! at the Disco

clock

A noite seguia seu curso, seus amigos já bebiam, dançavam e se divertiam como se não houvesse amanhã, mas não se sentia no mesmo clima que eles. Aproveitando uma brecha enquanto Naruto cantava no karaokê, abriu a porta de vidro e saiu para a sacada.

O cenário era de tirar o fôlego. A primeira neve do dia caíra a pouco e deixou a cidade salpicada de branco, brilhando sob as luzes. Era possível enxergar a felicidade que rondava as pessoas de longe, todos ansiando pelo novo ano que se aproximava.

E se sentiu sozinha.

O vento frio a envolveu e deixou que seus sentidos despertassem do torpor da bebida, afastando-a do calor que emanava da casa, dos seus amigos. Deixando que seus pensamentos lentamente se voltassem para o relógio.

Vários anos se passaram, várias situações inusitadas e tristes, mas não deixou de ter esperança, de ter fé de que tudo daria certo. Só que sentia medo.

Sentia tanto medo.

Não percebeu quando começou a sentir o aperto em seu peito, quando não conseguia mais respirar. Mal sentiu o frio quando segurou o parapeito, escorregando para o chão enregelado. Achava que ia morrer ali, sozinha, sem nunca encontrar seu par.

Como poderia fazer isso? Como poderia continuar a respirar?

– Olhe para mim, Hinata.

A voz grave chamou sua atenção, tentou focar em quem a chamava, mas não conseguia enxergar através das lágrimas.

– Vamos, Hinata, preste atenção na minha voz. – sentiu o toque cálido em seu pescoço – Conte comigo até dez.

A respiração ardia em seu peito, o olhar desfocado. Precisou de alguns instantes para entender o que era pedido. Não conseguiu encontrar a voz para dizer nada.

– Em voz alta, vamos.

Juntou todo o restante de força que tinha, sugou o ar tentando encontrar fôlego e sussurrou – Um…

Sentiu dor ao respirar, mas a mão quente permaneceu em seu pescoço. Sentiu outro toque em sua testa e logo depois ser apoiada no ombro.

– Continue, Hinata.

Fechou os olhos com força e se concentrou na contagem, concentrou-se na voz e no calor do toque que a envolvia – Dois…

A respiração já não queimava tanto, recebeu apoio para ficar novamente de pé e recostada contra o parapeito gelado – Três…

Deixou de se preocupar com o que acontecia ao seu redor, com o que inundava seus pensamentos – Quatro.

Sentiu quando a mão quente deixou seu pescoço e segurou suas mãos frias – Cinco.

Conseguia escutar a música que continuava a tocar e seus amigos cantando no karaokê – Seis.

Ficou aliviada por saber que não estragou a festa de ninguém – Sete.

Piscou os olhos e percebeu que já não havia lágrimas – Oito.

Encarou os olhos negros de Sasuke à sua frente – Nove.

Respirou fundo uma última vez – Dez.

Secou o rosto, deu um pequeno passo para trás e suspirou, enquanto encarava o amigo. Notou um leve sorriso de canto nos lábios dele.

– Obrigada, Sasuke.

Ele deu de ombros e se espreguiçou, escorando-se no parapeito e encarando a vista – Não por isso, Hinata.

O silêncio os envolveu confortavelmente e permaneceram assim, cada qual perdido em seus pensamentos. Perguntava-se o que teria feito Sasuke sair do meio da festa.

– Sabe… – assustou-se quando ele quebrou o silêncio – Nem tudo são flores.

O encarou sem entender.

– Ninguém realmente fala sobre isso, então a gente acaba achando que nunca mais teremos problemas depois que o relógio zera – ele continuou como se não esperasse resposta e sentiu seu peito se apertar novamente – Só que a realidade não é bem essa.

Como se esperasse exatamente essa frase, Naruto se espreme na porta de vidro, o olhar marejado e começa a se lamentar – Sasukeeee… O Kiba não me deixa cantar mais…

Não pôde deixar de rir enquanto via o olhar quase assassino que Sasuke lançava ao namorado e entendeu exatamente o que ele quis dizer.

– Sasuke… – ele voltou-se para ela – Obrigada por me ajudar. – sorriu, incapaz de dizer o quanto o amigo a ajudou.

– Não perca tempo preocupada com o amanhã, Hinata – ele sorriu de canto novamente enquanto recebia um abraço choroso do namorado – Eu te garanto que no final, tudo vai se encaminhar.

Enquanto voltava a ficar sozinha na sacada fria, levou a mão ao coração sentindo-o bater lentamente, a respiração vinha facilmente e sorriu. Não havia com o que se preocupar. Estava, afinal, cada dia mais próxima de encontrar aquele que seria seu par.

O céu se encheu de cores com os fogos de artifício que lhe roubaram o fôlego.


Naruto e seus personagens não me pertencem, a imagem foi encontrada na internet e a letra da música, obviamente, pertence à Panic! at the Disco.

Esta é uma fanfic que estou escrevendo para uma amiga minha e que está sendo postada no Nyah! e no fanfiction.net, considerando-se que este é o terceiro capítulo da história, não espero que entendam, realmente.

É uma fanfic Gaara e Hinata, e o tema é timer soul mate, e consiste na ideia de que em um futuro distante/outra realidade, as pessoas nascem com um relógio em seu pulso que zera quando encontra a sua alma gêmea. É uma ideia batida já, que já foi usada em filmes e diversas histórias espalhadas pelo Tumblr. Essa é só a minha visão sobre o assunto e com personagens de Naruto. Há diversos casais que eu shippo na minha história e há, também, muito drama e vontade de matar a autora no caso, eu e coisas afins.

Beijos da tia Tifa que não saiu da aposentadoria, mas de vez em nunca posta alguma fanfic.

Advertisements