Maze Runner – O Código da Febre

 

o-codigo-da-febre

Sinopse: Era uma vez o fim do mundo.

Florestas foram queimadas, lagos e rios secaram, oceanos transbordaram.

Uma peste febril se espalhou pela Terra, dizimando famílias inteiras. Homem matou homem. A violência reinou. Não havia mais lugares seguros.

Então, surgiu o CRUEL. Pesquisa após pesquisa, essa organização não mediu esforços para encontrar respostas… para encontrar a cura.

O CRUEL fez testes em crianças. Algumas delas, além de imunes, eram especiais… como Thomas e Teresa.

Juntos eles foram designados a trabalhar em um experimento: o Labirinto.

Mas, ao que parece, nem tudo foi dito. Segredos e mentiras irão perturbar Thomas. Quais relações de lealdade são realmente verdadeiras?

O código da febre é a aguardada prequel da saga Maze Runner. Prepare-se, porque nada será como antes. Todas as respostas serão reveladas.

Honestamente eu não sei de onde surgiu esse “aguardada prequel da saga Maze Runner“, eu fiquei muito surpresa em ver mais um livro ser lançado, na realidade. Por mim, ele não era uma necessidade e eu estava mais do que satisfeita com A Ordem de Extermínio ser a tão aguardada prequel pra saga.

Não quero dizer que esse livro foi ruim só que foi, mas acho que foi uma coisa não muito necessária. Desconsiderando O Código da Febre, se pegarmos apenas os outros quatro livros (ainda não li os arquivos), existe uma narrativa coesa, coerente e fechada ali. A Ordem de Extermínio mostra o mundo exatamente após as chamas solares, a criação da CRUEL, a propagação do fulgor. Enquanto Correr ou Morrer, Prova de Fogo e A Cura Mortal contam a história dos testes criados pela CRUEL para encontrar a cura para o fulgor. E daí que não vimos a criação do labirinto? Já temos todas as informações pertinentes na saga original.

A verdade é que este livro… me incomodou.

E não de um jeito bom.

Das três distopias mais famosas – Jogos Vorazes, Divergente e Maze Runner – a minha favorita foi é Maze Runner. Claro que, assim como qualquer saga, tem seus pequenos problemas, discrepâncias e tudo o mais. Vide Harry Potter e A Ordem da Fênix não tem como um masterpiece ser perfeito e sem NENHUM erro. Mas quando li Ordem de Extermínio tive a certeza de que Maze Runner era a distopia perfeita. Havia um começo, um meio e um fim muito bem feitos.

Aí veio O Código da Febre.

É claro que esta é apenas a minha opinião e ninguém precisa concordar com ela, mas… Honestamente, este livro é tão discrepante do resto da história, com erros crassos sobre a linearidade da história que quase tirou a saga do pedestal. Ênfase no quase.

Mesmo com toda a narrativa fantástica do tio Dashner, mesmo eu tendo lido metade do livro em 2 horas, mesmo tendo AMADO rever Thomas e todos os clareanos NEWT ❤ , foi um livro que deixou muito a desejar.

Não conhecia a Editora Plataforma 21, mas adorei o trabalho dela, só não gostei muito do tamanho da orelha do livro. Não sou fã de orelhas do tamanho da página.

Minha nota para esse livro foi 3/5 estrelas. Ainda não vejo necessidade para ele ter sido escrito e fico imaginando se não foi apenas um golpe de marketing/pressão dos fãs que o tornou real.

Fiquei triste.

Advertisements