Ramsés – O Filho da Luz

E como já disse antes, tento ao máximo dar uma limpada na pilha dos livros que quero ler sempre que começo um novo DDL. Assim sendo, escolhi para o item 27. Um livro com nobreza o livro Ramsés – O Filho da Luz de Christian Jacq.

27. Ramsés o Filho da Luz.jpg

A parte interessante deste tópico é o fato de “nobreza” ser um termo amplo, praticamente toda cultura tem sua concepção de nobreza e nada mais justo do que trazer a nobreza egípcia para o desafio!

Sinopse: Primeiro volume da saga em cinco partes sobre a vida do faraó Ramsés. Ele é um jovem que anseia secretamente substituir o pai no trono do Egito, mas o direito à sucessão pertence a seu irmão, Chemar. Mas quem realmente sucederá o faraó Sethi?

Esse livro parte da premissa de que Ramsés é uma pessoa justa e sábia para governar o Egito após a morte de seu pai, Sethi. O que é de certa forma desconcertante é que a todo tempo o autor nos mostra o quanto Ramsés é melhor que todos os outros personagens juntos. Talvez apenas igualado por Nefertari e seu grupo de amigos, além, é claro, por seus pais.

Por mais que sejamos apresentados a uma versão diferente do normal de Ramsés II – aquele mesmo Ramsés que tenta impedir os hebreus de saírem do Egito – e que ele seja, obviamente, o herói do livro, não é uma narrativa que você compra com tanta facilidade assim.

A narrativa de Jacq é fantástica, muito bem feita, pesquisada e tudo o mais, colocando toques da mitologia egípcia e de, por que não, magia. O livro tem uma velocidade e uma leitura muito gostosa.

A história em si, entretanto, não é tão facilmente comprada… Ainda assim gostei do primeiro volume. Agora é esperar voltar pra Goiânia e ir lendo lentamente a coleção da minha avó.

3/5 estrelas.

Livro dos Sith

07-livro-dos-sith

Para o item 07. Um livro que você termina em um dia escolhi o Livro dos Sith de Daniel Wallace. O livro contém 160 páginas, enquadrando-se na exigência de um mínimo de 100 páginas.

Sinopse: Ao longo dos séculos, à medida que os Lordes Sith ascendiam ao poder, alguns deles registravam sua filosofia e seus esquemas para assumir o controle da galáxia. Ao serem derrotados, esse conhecimento desapareceu. Ou, pelo menos, era o que parecia.
Seus escritos foram passados entre Sith selecionados – e até mesmo Jedi -, que acrescentaram suas reflexões a essas raras páginas. Na busca por domínio, Darth Sidious foi atrás do que sobrou dos cinco textos mais lendários do lado negro. A partir desse conhecimento, ele escreveu um sexto texto – seu próprio manifesto. Reunidos, esses documentos formam o Livro dos Sith.

Nele são apresentados os maiores mestres, o surgimento do clã, os armamentos, o vestuário, os segredos obscuros, entre outros.

Editora Bertrand Brasil publicou vários “guias” sobre o universo do Star Wars aqui no Brasil e, por mais que este não seja o último, será o último que eu comprarei.

Veja bem, eu sou uma garotinha do lado negro da Força, torço pelo Império e, no máximo, seria uma Caçadora de Recompensas. O lado brilhante da Força that’s a thing não me chama a atenção e não acho a Aliança Rebelde lá tão grandes coisa.

De qualquer forma, adorei conhecer mais sobre os Sith, sobre como os Jedi basicamente os criaram – não a escolha mais inteligente, se quiserem a minha opinião – e como seus lemas e ideais foram construídos através dos tempos.

Interessante ver também que apenas Luke Skywalker conseguia debater as características do Livro dos Sith – para quem não conhece a teoria desses “guias”, todos eles foram capturados pela Aliança Rebelde e vem com anotações nas páginas que as “personagens” fizeram.

Foi um livro rápido e divertido de ler. 4/5 estrelas.