Rio 2031

13. Rio 2031

Hoje não tem sinopse, porque não tem no Skoob e no Goodreads está em italiano. q

Iniciamos mais um Desafio de Leitura! Agora é 2018! Amém sem or!

Rio 2031 foi a HQ escolhida para o item 13. Um livro que tenha ilustrações. Primeiro porque eu ainda não tinha lido essa HQ, obviously, e segundo porque quem ilustra é o Picolo e eu sou apaixonada pelo traço dele e, porque eu sou uma boa minion, acabei recebendo uma ilustração na contracapa de Ícarus and The Sun, que é tipo a minha webcomic favorita do Picolo!

A história de Rio 2031 me lembrou um pouco do pouco que eu conheço a história de Overwatch, um jogo da Blizzard. O que eu quero dizer com isso: ambos se passam em um futuro distópico em que as pessoas desenvolvem poderes e se dividem entre dois grupos que batalham entre si. No caso de Rio 2031 temos a The Nation lutando contra a New State.

Em específico nessa primeira história, o Rio de Janeiro se tornou alvo do conflito entre as duas potências.

Ah! Uma grande diferença entre OWRio 2031 é que os seres com super poderes em Rio acabam tendo prazo de validade. Os Timeds – como esses seres são chamados – possuem um prazo em que eles conseguem viver e lutar e ajudar sua respectiva facção. Inclusive, um dos Timeds está morrendo. Spoiler alert!

No geral, gostei bastante dessa história e fiquei curiosa para acompanhar o restante e para entender de qual que é essa história de que a HQ é o spin-off de um jogo. Já quero!

4/5 estrelas!

Advertisements

E que venha 2018!

photo5048825393678755790

Este ano o desafio é um pouquinho diferente: são 40 tópicos, mas cada integrante pode escolher 30 para cumprir até o final do ano.

A realidade é que estou desanimada com o Desafio de Leitura. Bem, não com o desafio em si, mas com as pessoas com quem tenho feito o desafio. Só que esses problemas são muito pessoais e meio que não interferem tanto assim com o Desafio, então vamos participar por mais um ano.

E, considerando que foi o motivo pelo qual criei esse blog, acho que nem toda a experiência foi ruim assim, não é mesmo? 😉

Este ano de 2018 me comprometi com uma meta de leitura oficial de 50 livros. 50 é um bom número, 8 a mais que o desafio oficial do ano passado, e acho que será o suficiente para que eu possa conciliar trabalho, estudos e lazer.

Ainda não sei exatamente como será a minha rotina este ano que se inicia, mas o meu grande objetivo é cuidar mais de mim. Com pensamentos mais positivos, atitudes mais positivas.

Preciso ativamente procurar melhorar cada vez mais.

Então é isso! Que venha mais um ano recheado de resenhas, livros, contos, filmes, trabalho e estudo!

Um feliz ano novo para todos nós! ❤

Dias de Despedida

Dias de Despedida

Sinopse: “Cadê vocês? Me respondam.”
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto. Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?

Esta não será minha última leitura do ano – no sir, ainda pretendo continuar a leitura de Pilares da Terra -, porém será a última resenha do ano. E devo dizer que foi um livro muito especial para fechar com chave de ouro esse ano de 2017.

Desde que vi a capa desse livro e a sinopse, fiquei muito animada para ler o livro, mas, como minha situação financeira continua meio caótica, evitei fazer muitas compras de livros. Fora de promoções. E, sendo este livro um lançamento da Editora Seguinte, ele não entrou em nenhuma promoção que eu tenha visto. q

Acontece que, depois de duas malinhas do Turista Literário que não me empolgaram tanto assim – e que até me fizeram cogitar cancelar a assinatura -, veio a malinha de dezembro. Com esse HINO de livro e cheio de mimos! ❤

Este ano foi muito conturbado para mim. Teve o final da minha faculdade, minha formatura, despedida dos amigos, começar a vida de adulta trabalhando pra valer… Então pode-se dizer que tenho estado mais emotiva que o normal.

Foram os livros que tratam sobre o luto os que eu mais morri de chorar, os que eu mais amei ler e os que eu guardo comigo no coração. Os dois se tornaram favoritos com toda a certeza. E são eles A Lógica Inexplicável da Minha VidaDias de Despedida.

É claro que eu sei que os meus problemas não foram tão grandes assim, afinal, eu não perdi realmente ninguém próximo o bastante para eu me importar… I’m a cold hearted bitch., só que uma das coisas mais maravilhosas que os livros fazem por nós, leitores, é que nossas experiências de vida importam. Não é apenas a história em si, mas a forma como nós vivemos essa história.

E eu vivi intensamente a história do Blade.

Talvez, na verdade, esse seja um dos meus grandes medos. Talvez eu tenha me visto demais nele. Não sei exatamente o que foi, só sei que foi uma história que me tocou, me chocou e me deu um vislumbre sobre uma nova forma de ver o mundo.

Estou apaixonada por essa história.

5/5 estrelas e favoritadíssimo.

Clube da Luta

IMG_20171226_005053_984

Sinopse: Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição.
O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente.
O livro foi filmado em 1999, Por David Fincher (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que possui duas nomeações ao Oscar, que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

A fofa da Cris que me indicou esse livro no Desafio de Leitura 2017, assim sendo, este foi o livro para o item 30. Um livro recomendado por alguém do desafioTecnicamente o único livro que eu realmente não poderia trocar da minha lista, mas a minha lista é bem fixa, então…

Demorei bastante para ler o livro, pelo simples motivo de ter amigos fantásticos. Já disse aqui antes que geralmente dou de presente livros que espero que meus amigos gostem e, preferencialmente, que me emprestem depois que tiverem lido. O Senpai tem uma visão um pouco diferenciada. Ele comprou para mim de presente de aniversário (faço aniversário em janeiro) e ainda não me entregou o livro porque ele não terminou de ler. Fantástico, não? 🙂 Eu nem estou irritada, really, ele é o melhor Senpai que eu poderia querer ter.

Então eu estou aqui, a 5 dias do final do desafio, lendo os livros que ainda faltam. Como superar o fato de ter o livro, mas ele não estar comigo? Simples! Kindle Unlimited. Sim! Eu assinei o Kindle Unlimited (que para quem não sabe, é tipo uma biblioteca. Você paga R$ 19,90 por mês e pode pegar 10 livros emprestados quantas vezes quiser/puder) e lá tinha o livro Clube da Luta disponível para empréstimo. ❤ Kindle foi meu melhor investimento em muito tempo…

Como já conhecia o filme, não tive grandes choques durante a leitura. Pelo contrário, estava sempre procurando as dicas, as nuances que mostravam quando Tyler aparecia. Tipo quando você assiste O Sexto Sentido pela primeira vez, mas quando reassiste presta atenção aos pequenos detalhes.

No geral, achei o livro muito interessante. A narrativa não é nem um pouco convencional, o que de vez em quando o torna mais confuso do que ele deveria ser. E, mesmo assim, a narrativa é gostosa de ser lida, de ser acompanhada. Quando percebi, já estava completamente absorvida, mal percebendo o tempo passar.

O interessante é que o livro e o filme se equiparam, nem melhor, nem pior. E uma das coisas que achei muito divertida (?) é que nesse livro não tem um aprofundamento tão grande em relação aos personagens. Há apenas alguns detalhes que não apareceram no filme.

Leitura absolutamente fantástica. Recomendo demais esse livro.

4/5 estrelas e favoritado. Agora é só esperar o Senpai terminar de ler meu livro. XD

Emma

IMG_20171224_195721_940

Sinopse: Emma Woodhouse, uma jovem bonita, inteligente e encantadora, está decidida a jamais se casar. Ela já possui toda a fortuna e a independência de que precisa e sente-se perfeitamente satisfeita com sua situação, o que não a impede de se divertir planejando casamentos entre as pessoas que a cercam. Ao conhecer Harriet Smith, uma moça de status social mais baixo, Emma decide ajudá-la a encontrar um pretendente que seja um verdadeiro cavalheiro. Porém, a jovem descobre que interferir demasiadamente na vida dos outros pode por em risco a própria felicidade. Para garanti- la, Emma deve superar seus preconceitos e compreender melhor o que se passa em seu coração. Marcado pela inigualável ironia de Jane Austen e repleto de diálogos geniais, Emma é um retrato vívido da situação das mulheres na Inglaterra do início do século XIX.

Emma é, de longe, o pior livro da Jane Austen que eu já li.

Ainda não li todos os livros da Austen e, depois de Emma, vou precisar de um tempinho antes de pegar Northanger Abbey.

A grande questão é que Emma é uma garota rica e que acha que pode escolher o que é melhor para aquelas pessoas que a rodeiam pelo simples motivo de que ela se acha melhor que as outras pessoas.

Demorei meses para conseguir ler os três volumes do livro porque ele é muito chato. A história não desenvolve. Só trata dos possíveis pretendentes de Harriet, de como Emma julga aqueles que estão ao seu redor e como ela é fútil e mimada.

O final da história tem aquele toque de magia, porque só mesmo por mágica pra conseguir resolver todos os problemas de todas as personagens de um modo tão simples e rápido.

2/5 estrelas.

Black Bird of the Gallows

IMG_20171224_002102_308

Sinopse: Her love breaks his curse. But his love spells her death.
A simple but forgotten truth: Where harbingers of death appear, the morgues will soon be full.
Angie Dovage can tell the mysterious new boy next door is more than he appears, but she can’t imagine his presence signals a tragedy that will devastate her small town. But when a grotesque, otherworldly man tries to attack her and Reece comes to her rescue, everything changes.
Any minute, chaos could rain down on her town, on her family, on everyone she cares about. But that’s only half as dangerous as falling in love with a harbinger of death.

E finalmente consegui completar com êxito tudo bem que só terminei o livro 00:09, ainda estou considerando uma vitória pelo menos uma das maratonas de leitura que participei esse ano! Amém sem or! Esse livro foi o escolhido para o item 01. Um livro com personagem girl power da Fantastona 2017. E agora só me restam dois livros para completar os nove que coloquei na Desesperatona 2017. Gente… Acho que vai dar! ❤

Anyways… Vamos ao livro.

Black Bird of the Gallows é, essencialmente, um romance sobrenatural envolvendo uma humana e um Harbinger of Death – um mensageiro da morte, em essência, um corvo.

Os corvos, elemento muito importante e presente durante todo o livro, são os mensageiros da morte, aqueles que acompanham grandes desastres e se alimentam da energia da morte. Eles precisam da morte tanto quanto precisamos de água ou comida.

Na parte sobrenatural do livro temos os mensageiros da morte e temos os cuidadores de abelhas – Beekeepers. Estes são um outro tipo de força sobrenatural, que se alimentam do medo e do caos e, para isso, possuem abelhas venenosas em seu corpo que ao picar pessoas já propensas à loucura, aumentam sua psicose e as fazem atacar outras pessoas.

Há um desastre vindo para a cidade de Angie, um desastre que não pode ser evitado e que ninguém, nem mesmo os corvos, sabe o que é.

Acontece que no meio desse campo de batalha entre corvos e abelhas, estão os humanos. Angie principalmente.

Angie se torna um alvo das abelhas quando elas percebem que Reece, um corvo, está apaixonado por ela. Tudo isso porque há uma lenda que apenas um mensageiro da morte pode libertar um cuidador de abelhas de sua maldição.

Além disso, Angie possui um passado traumático. Sua mãe era usuária de drogas e a arrastava por todo o Estados Unidos para evitar que ela ficasse com o pai. Graças a isso há toda uma história que não conhecemos e que apenas vislumbramos durante todo o livro.

O livro trata sobre os mais diversos assuntos. Superação, bullying, uso de drogas, tiroteio em escola, a fragilidade da vida humana. Como primeiro livro da autora Meg Kassel, é um prato cheio. Entretanto, como todo primeiro livro há alguns erros, algumas coisas que poderiam ser tratadas de forma diferente.

É um livro lento. Só que é um livro bom.

Adorei o fato de que a minha edição veio com anotações da própria autora, então acabei tendo uma experiência de leitura única. Foi muito maravilhoso acompanhar o que a autora pensou enquanto escrevia o livro.

Ah. É o primeiro livro de uma série, mas o encerramento dele é muito bem trabalhado e não há necessidade de uma continuação. O fato de eu estar cansada de séries tem me ajudado a aceitar finais em aberto com ainda mais facilidade do que antes. Afinal, eu AMO finais em aberto. Quem lê minhas fanfics sabe disso. XD

3,5 de 5 estrelas.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

IMG_20171223_114743_803

Sinopse: Desta vez, Harry Potter foi encarregado de uma tarefa obscura, perigosa e aparentemente impossível: localizar e destruir os Horcruxes remanescentes de Voldemort. Potter nunca esteve tão sozinho nem teve de enfrentar um futuro tão sombrio. Porém, de algum modo, Harry deve encontrar dentro de si próprio a força para completar a tarefa que lhe foi dada: ele deve sair do ambiente acolhedor e seguro da Toca para seguir sem temor nem hesitação pelo inexorável caminho que lhe foi traçado…
Na sétima e última parte da saga de Harry Potter, J.K. Rowling revela de modo espetacular respostas que há muito são esperadas. A encantadora e elaborada narrativa, com guinadas repentinas em compassos de tirar o fôlego, confirma a autora como uma grande contadora de histórias cujos livros serão lidos, re-lidos e lidos mais uma vez.

Harry Potter e as Relíquias da Morte foi o livro escolhido para o Desafio de Leitura 2017 – item 03. Um livro referenciado em filme/série, tendo sido mencionado pelo Décimo Doutor no segundo episódio da terceira temporada de Doctor Who ❤ ; e para a Fantastona 2017 – item 06. Continuar ou terminar uma série. Além de ser o sexto livro dos 9 que coloquei na lista da Desesperatona 2017.

Este é o último livro da série Harry Potter e fecha com chave de ouro todo um universo maravilhosamente criado.

Aqui acompanhamos a última grande aventura de Harry e seus amigos, buscando as horcruxes para poder conseguir acabar com o Voldemort de uma vez por todas. E enquanto isso, o Lorde das Trevas finalmente assumiu o seu retorno e está dominando a comunidade bruxa do Reino Unido.

Honestamente, assim como nas outras releituras, eu lembrava do grosso da história, mas não me lembrava dos detalhes. Sabia de todos que morriam durante o livro, mas não lembrava como eles morriam. Chorei demais com cada morte, com cada decisão do Harry.

O livro é emocionante do começo ao fim, porém é um livro extenso e demorado para realmente começar a ação.

5/5 estrelas e foi uma ótima ideia reler! ❤