Céu Sem Estrelas

Sinopse: Um romance sensível e envolvente sobre autoestima, família e saúde mental.
Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento.
Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.
“Uma história brilhante sobre encontrar a sua força mesmo quando não há esperanças. Iris escreve com uma sensibilidade incrível e dá voz aos jovens que vivem a busca constante pelo seu lugar no mundo.” – Vitor Martins, autor de Quinze Dias

Conheci a maravilhosa da Iris Figueiredo na FLIPOP 2019 e depois de conversar com a Nick, fui convencida de comprar este livro. Sim, eu sei que existia uma promessa de não comprar livros, acreditem, eu estou sofrendo por conta dela até agora… Mesmo tendo comprado mais livros q

Peguei esse livro bem despretensiosamente para ler, mas já sabia que o livro tratava sobre assuntos pesados, principalmente sobre depressão.

E eu gosto muito de ler livros sobre o assunto porque acredito que quanto mais se fala sobre algo, menos esse assunto é visto como tabu e mais conhecimento as pessoas conseguem ter sobre eles.

A única coisa que eu realmente não esperava era me reconhecer tanto nessa personagem, nessa estória.

A Cecília é uma personagem muito carismática, empática. É uma personagem real, com todos as suas vantagens e desvantagens, com todos os seus problemas… Fiquei completamente apaixonada por ela. Por essa estória.

Foi uma leitura muito rápida, mesmo que tenha sido pesada. Me tocou muito e me fez chorar por diversas vezes. Muito obrigada Iris por ter escrito um livro tão maravilhoso e importante.

5/5 estrelas e favoritado.

Sweeney Todd

Sinopse: Famosa graças às adaptações para o teatro e para o cinema, a lenda do barbeiro demoníaco da Fleet Street chega pela primeira vez ao Brasil em seu enredo original. Publicado em 1846 sob o título “O Colar de Pérolas”, o livro conta a história da macabra parceria entre um barbeiro assassino, Sweeney Todd, e a fabricante de tortas mais famosa da cidade, a sra. Lovett, que desenvolveram juntos um modelo de negócio muito lucrativo e, ao mesmo tempo, muito perigoso.
No entanto, mistérios colocam em risco a sociedade aparentemente bem-sucedida: o desaparecimento de um forasteiro e seu colar de pérolas, a busca incansável de uma jovem apaixonada pelo seu amado e o terrível cheiro nas câmaras subterrâneas da Igreja de St. Dustan.
Sweeney Todd é um dos primeiros clássicos da escrita britânica de horror. Ele combina a história de assassinatos em série com um subenredo romântico envolvendo decepção, disfarce e investigação, tendo como pano de fundo as ruas escuras e desagradáveis de Londres.

Comecei a ler este livro durante a Leitura Coletiva organizada pela própria Editora Wish, porém, por uma série de fatores, não consegui terminar o livro à tempo, então acabei me enrolando…

A estória aqui narrada é bem conhecida, tratando sobre o barbeiro e sua parceira, a cozinheira sra. Lovett. Por isso, não me prenderei às minúcias do enredo.

Como meu primeiro livro da Editora Wish, devo dizer que achei a diagramação do livro um pouco pesada de ler, o que me deixava cansada durante a leitura e acabou prejudicando a velocidade com que digeri esta estória.

Afora este detalhe, adorei conhecer a estória original de Sweeney Todd – ou o mais original possível – e posso dizer que foi uma leitura que me divertiu bastante, principalmente porque há detalhes dela que não chegaram ao filme protagonizado por Johnny Depp e Helena Bonham Carter – meu primeiro contato com a estória.

3,5/5 estrelas.

The B-Team

Continuando com o meu amor eterno pelo tio John. Temos aqui um livro que se passa no mesmo universo que Guerra do Velho, mas não é exatamente uma continuação, ao menos não ao pé da letra.

Pelo que consegui entender desta leitura, The B-Team se passa anos depois de John e Jane aprontarem alguma trapalhada com as Forças Coloniais de Defesa. E, assim sendo, alguma coisa interessante parece que vai acontecer no universo de Guerra do Velho e eu estou MUITO ansiosa para ler o terceiro livro! Que está me encarando da estante neste exato momento.

Aqui seguimos uma outra vertente da batalha pelo universo: através da diplomacia.

Somos apresentados a novas raças alienígenas, a novos formatos de batalha e a métodos bem interessantes de resolver problemas.

O livro se chama The B-Team (seria algo como time da segunda divisão) exatamente porque a equipe de personagens que acompanhamos são considerados descartáveis, enviados em uma missão com altíssimas probabilidades de falhas e que traz um grau extratosférico de perigo para a humanidade como um todo.

Diplomacia… O coisinha complicada, viu.

A narração deste livro é impecável, assim como o enredo é de tirar o fôlego.

5/5 estrelas, favoritado e mal posso esperar pelos próximos livros!

Não Era Voce que Eu Esperava

Sinopse: Como lidar com uma filha com deficiência? Nesta graphic novel autobiográfica, Fabien Toulmé fala com emoção, humor e humildade sobre um encontro inesperado de um pai com sua filha que possui Síndrome de Down. O casal enfrenta o nascimento de uma criança especial. É como uma tempestade inesperada, um furacão. Quando a menina nasce com a síndrome, até então não diagnosticada, a vida de Fabien desmorona. Indo da fúria à rejeição, da aceitação ao amor, o autor fala sobre a descoberta de como é ser diferente.

A Jéssica e a Denise estão me influenciando muito a ler coisas diferentes – e que queria ler faz tempo – por conta do sebinho do perfil literário delas, o Say My Book. Foi assim que adquiri vários novos livritchos para a minha coleção. Aguardem e logo mais os trarei aqui!

Fiquei de olho nessa HQ desde o momento que ela foi lançada, porque realmente me interesso por esses conflitos, ainda mais quando são baseados em histórias reais…

Aprender a aceitar e respeitar diferenças é algo importantíssimo para a humanidade, então acho incrível que o autor tenha colocado todos os seus sentimentos nessa história, mostrando a passagem por todos os passos do luto até chegar à aceitação de sua filha especial.

Foi uma HQ que mexeu comigo e que me fez chorar quase que por ela inteira.

5/5 estrelas e favoritada!

A Curva do Sonho

Sinopse: Em um mundo assolado por instabilidade climática e superpopulação, George Orr, um cidadão pacato e mundano, descobre que seus sonhos têm o poder de alterar a realidade. Quando acorda, o mundo que conhecia tornou-se um lugar estranho, quase irreconhecível, em que apenas ele tem a memória de como era antes.
Sem rumo, ele busca a ajuda do Dr. William Haber, psiquiatra que logo deixa de lado o seu ceticismo e entende o poder que George possui, transformando-o em um peão de um perigoso jogo, em que o destino da humanidade fica mais ameaçado a cada instante.
Tão relevante para o mundo atual quanto era ao ganhar o prêmio Locus (1972), esta história de Ursula Le Guin é um verdadeiro clássico, profético e ferozmente inteligente.

Demorei mais do que o esperado para ler esse livro, mas não é porque ele seja ruim – coisa que definitivamente não é -, e sim pelo simples fato que estava lutando bravamente contra uma ressaca literária.

Este livro é simplesmente incrível! George vive em um futuro distópico, com problemas de superpopulação, controle excessivo por parte do governo, corrupção, todos aqueles detalhes básicos que transformam a estória de uma simples ficção-científica para um espelho de uma realidade próxima.

O que eu achei mais interessante de toda esta estória é que acompanhamos bem de perto à corrupção pelo poder. O psiquiatra que começa a tratar George percebe o poder que tem nas mãos e começa a usar os sonhos do personagem para criar um mundo perfeito – só que perfeito de acordo com o que ele acredita.

Ele não esperava que George interpretasse os comandos recebidos e acabasse mudando a realidade de acordo com o que acredita ser o melhor para todos.

Honestamente, achei este livro de uma inteligência sem tamanho, além de criticar a nossa realidade de uma forma tão simples e incrível…

4/5 estrelas.

A Garota da Casa da Colina

Sinopse: Anos depois de fugir de sua vida na pequena Campo das Flores, a lutadora de boxe Yara está de volta. O homem que ela mais odiava, seu avô, agora está morto e a única coisa que ela quer é abraçar sua avó. O que era para ser uma rápida visita vai desencadear uma sequência de acontecimentos quando ela conhecer sua pequena vizinha, Nina. A amizade entre elas vai revelar uma estranha ligação em suas vidas e mostrar a Yara que seu passado esconde fatos nebulosos e que seu avô pode ser ainda pior do que ela imaginava.

É sempre um prazer poder conhecer autores, mas olha… a Larissa Brasil foi um prazer ainda maior! Ela fez o evento de lançamento de A Garota da Casa da Colina na Livraria Palavrear em Goiânia, um lugar que eu gosto bastante de ir e, além disso, ela é goiana, gentchi! É muito amor envolvido!

O livro se passa em uma cidade fictícia do interior, uma dessas bem pequeninas, que todo mundo se conhece cof cof Goiânia cof cof e de onde a personagem principal, Yara, fugiu.

Temos muitos temas que são discutidos nesse livro, relacionamento abusivo familiar, esquizofrenia, a ideia dos coroné que mandavam e desmandavam nas cidades pequenas…

O que realmente me prendeu nesse livro é o fato de que a Yara não é uma narradora confiável. Ela tem falhas na memória, um temperamento explosivo e é paranóica com tudo e todos ao seu redor.

Quando ela se vê obrigada a voltar para a cidade – e para as pessoas – que fugiu, começamos a ver várias linhas se desfazendo do tecido das memórias de Yara, ela se vê obrigada a enfrentar seus demônios e descobrir o que aconteceu no seu passado.

Foi uma leitura completamente envolvente e imersiva, adorei cada ponto dela e estou muito curiosa para ver mais coisas que a Larissa escrever!

4/5 estrelas

Wilder Girls

Li este livro depois de ser convencida pela fofa da Jully. Como ela não explicou muita coisa, fui para esta leitura completamente no escuro.

E, olha… Que leitura, viu.

O livro se passa em uma escola só para garotas na costa dos EUA e acompanhamos uma situação bem estranha, já que esta escola está em quarentena e todas as meninas – e as duas professoras – que vivem ali estão infectadas por algo chamado Tox.

A Tox causou mutação no corpo das meninas, mas não é algo bom. Dois corações, duas colunas vertebrais, uma mão cheia de escamas, cabelos que iluminam os arredores… E não é uma questão de apenas uma mutação e acabou. Não, as meninas sofrem as flares, algo como um “aquecimento” do seu corpo, quando a Tox volta a atacar o hospedeiro e causa novas mutações.

O interessante deste livro é que a Tox é o motivo pelo qual ele se desenvolve e ao mesmo tempo é pano de fundo para toda a violência que é viver com este isolamento, os animais selvagens contaminados, os problemas de falta de alimento, a natureza humana.

Assim como o livro não é só sobre isso, mas também sobre auto-conhecimento, aprendizado, sobrevivência…

É um livro que traz terror, só que também debate sobre homossexualidade, amizade, família, medos e sonhos. Foi uma leitura completamente intensa e que mexeu comigo.

4/5 estrelas.

Undying

Após a leitura de Os Eternos: O Legado, fiquei desesperada para saber como a estória se encerraria e dei pulos de alegria ao descobrir que a continuação estava disponível na Audible.

Aqui continuamos exatamente de onde Os Eternos termina, com Mia e Jules presos na nave dos Eternos e indo em direção à Terra.

Tendo em vista que os garotos finalmente conseguem descobrir que os Eternos estão vivos e prontos para invadir o nosso planeta, é praticamente impossível terminar a leitura do primeiro livro e não querer saber como isso se resolve. Ainda mais porque temos muitos, mas muitos problemas para serem resolvidos nesse livro. O primeiro – e mais importante – deles sendo: como Jules e Mia conseguirão voltar para Terra?

No geral esse livro me deixou com um misto de felicidade e de irritação em mesma medida.

Calma, eu explico.

Eu realmente estava completamente desesperada para saber como as coisas se resolveriam do primeiro livro e, é até justificável a forma como Jules e Mia se aproximam em Gaia, mas a partir do momento que eles chegam na Terra, isso fica bem estranho. Os problemas se resolvem de uma forma mais fácil e simples do que você imagina e o romance simplesmente não cabe na estória.

É como eu disse para a Jully, tirando a parte do romance – que flerta bastante com o erótico – achei este livro bem mais infanto-juvenil do que YA. A forma como os problemas se resolvem me irritaram bastante.

Ao final, volto a imaginar que o maior problema desse livro foi a tal da expectativa.

3/5 estrelas.

Sadie

Sinopse: Uma garota foi brutalmente assassinada. Seu corpo foi encontrado entre um pomar de macieiras e uma escola incendiada nos arredores de Cold Creek, Colorado. Seu nome era Mattie Southern, e ela só tinha treze anos.
A pequena Mattie era a única conexão de sua irmã mais velha, Sadie Hunter, com o mundo. Quando elas foram abandonadas pela mãe, que era viciada em álcool e outras drogas, Sadie cuidou da irmãzinha como se nada mais importasse.
Agora, tudo o que a garota de dezenove anos quer é fazer justiça com as próprias mãos. E nem mesmo a gagueira que dificulta sua comunicação vai impedi-la de encontrar o paradeiro do assassino. Desde que partiu atrás do abusador que tirou a vida de Mattie, Sadie nunca mais foi vista. O que aconteceu com ela?
A única pessoa disposta a encontrar respostas é o jornalista West McCray. Quando a polícia não conseguiu resolver o caso, a avó de consideração das garotas pediu a ajuda dele. O repórter está seguindo o rastro de Sadie e, ao longo de sua investigação, ele produz um podcast. Cada pista descoberta revela uma verdade desoladora.
Dividido entre o podcast de West McCray e a narrativa da personagem, Sadie é um thriller que perturbará você até a última página. Afinal, uma garota desaparecida é sempre uma história inacabada.

Conheci a Milena na FLIPOP 2019 e fiquei tão feliz de conhecê-la que dei o livro Sadie para ela e, assim, combinamos a leitura coletiva dele. Já estava curiosa com esse livro e só precisava de uma desculpa para realizar a leitura dele.

Acompanhamos a história por dois pontos de vista, o de Sadie e o do repórter West McCray em duas formas, a de investigação e a do podcast, no qual ele conta a história das irmãs Southern.

O interessante deste audiobook é que ele é full cast, ou seja, cada personagem tem seu próprio intérprete, o que traz ainda mais profundidade para a narrativa e para os próprios personagens. Em particular, a intérprete da Sadie me deixou embasbacada com seu trabalho. Me senti na pele da personagem de formas que não esperava.

Adoro livros policiais, mas devo avisar que o tópico deste livro é mais tenso e pesado do que eu esperava, afinal fala de pedofilia, assassinato, roubo, justiça com as próprias mãos… Trata de muitos assuntos extremos e que incomoda de uma forma indescritível.

Sadie tem uma pista sobre o assassino da sua irmã e por isso toma a decisão de persegui-lo. Ela não imaginava que o trajeto seria longo e doloroso, que descobriria mais facetas horríveis de um mundo podre.

Por estar tão próxima do caso, Sadie muitas vezes se mostra uma narradora não confiável, afinal, ela está completamente envolvida tanto emotiva quanto psicologicamente. E o fato de ela não ter todas as peças e buscar solucionar o assassinato da irmã, coisa que a polícia não conseguiu – ou não se importou – torna toda a história ainda mais intensa.

A participação de West se dá no mesmo sentido que a investigação de Sadie, afinal, ele está procurando por ela, novamente em uma busca que a polícia não conseguiu ou se importou em realizar. Ele se aproxima do caso aos poucos, traz outras facetas que Sadie – talvez por sua idade ou incapacidade de empatizar com sua família – não consegue nos mostrar.

As narrativas se complementam, tornam a imagem mais nítida e nos traz informações que de forma independente não conseguiríamos perceber.

4/5 estrelas e favoritado. Obrigada pela leitura maravilhosa Mi!

Os Eternos: O Legado

Sinopse: Quando a mensagem de uma raça alienígena há muito extinta chega à Terra, parece ser a solução que o planeta precisava. A tecnologia avançada dos Eternos tem a capacidade de reverter dano ambiental e mudar vidas – e Gaia, o antigo planeta natal deles, é um tesouro esperando para ser descoberto.
Para Jules Addison e seus colegas acadêmicos, a descoberta de uma cultura alienígena oferece uma oportunidade extraordinária para estudo… desde que saqueadores como Amelia Radcliffe não roubem tudo. As diferentes razões que Mia e Jules têm para se infiltrar em Gaia os colocam em conflito, mas são obrigados a formar uma frágil aliança depois de enfrentarem outros saqueadores.
Para entrar no templo dos Eternos e acessar a tecnologia e informações nele escondidas, eles precisam decifrar os antigos segredos dessa raça extinta e sobreviver às suas armadilhas. Mas quanto mais aprendem sobre os Eternos, mais sua presença no templo parece parte de algo maior que pode determinar o fim da raça humana…

Peguei este livro para ler depois de escutar muitos elogios vindos dos meus amigos. Como já conhecia a Amie dos trabalhos dela com o JayJay, devo assumir que estava com expectativas altas em relação a este livro.

Acompanhamos a jornada da Mia e do Jules em Gaia, um planeta completamente diferente da Terra e que traz desafios próprios graças à diferenças de atmosfera e pelo fato de que Gaia possui dois sóis.

Outra coisa que me chamou bastante a atenção é que Mia e Jules são pessoas completamente diferentes. Enquanto Mia é uma catadora – uma pessoa que se dedica a encontrar artefatos que possa ser vendido – americana enquanto Jules é um estudioso inglês. Para ele nada é mais importante que preservar o conhecimento.

Então além de todos os problemas do local onde se encontram, eles também precisam lidar com as diferenças inerentes aos seus objetivos em Gaia para conseguirem sobreviver juntos.

Durante a leitura do livro inteiro, fiquei impressionada como as coisas foram desenvolvidas, porque tudo é feito de forma que os fatos aconteçam em um crescendo, que nos envolve e que permite que aceitemos cada novo desafio, cada novo problema. Ver a forma como eles aprendem a confiar um no outro, a trabalhar como equipe para ultrapassarem cada obstáculo é incrível.

Acredito que o único ponto negativo(?) que existe no livro seja o romance. Como tanto Mia quanto Jules narram, podemos ver como eles se sentem em relação ao outro. Enquanto Mia tem um posicionamento completamente “racional” frente a Jules – no sentido de que ela tem hormônios à flor da pele e ele é o único rapaz próximo – é bem mais convincente que o posicionamento do Jules que foi instalove. Ele se apaixona pela Mia assim que a vê pela primeira vez. E isso é um pouco chato, para dizer no mínimo, mas não é algo que atrapalhe a história.

No geral, o livro me surpreendeu de uma forma impressionante e fiquei tão envolvida que terminei de ler o livro em um único dia.

5/5 estrelas e empolgadíssima para a continuação!