Rey’s Story

Existem horas em que nos deparamos com alguns livros que não são exatamente o que queríamos, mas que nos servem como uma luva.

Foi o caso deste livro.

04. Rey's Story.jpg

O livro Star Wars: The Force Awakens – Rey’s Story (sim, esse é o título todo do livro) foi o escolhido – meio que sem querer – para o item 04. Um livro publicado este ano.

04. Rey's Story info

Este livro não era o que eu havia escolhido para esse item, mas acabou que o livro que havia escolhido anteriormente fora publicado ano passado, então… Cá estou eu ganhando tempo com o desafio.

A realidade é que achei que foi um livro tão curtinho – e tão essencial para me distrair do pânico e ansiedade das provas – que não queria exatamente usá-lo para o desafio.

Falando da história em si achei esse livro fraco.

Não porque conta a história da Rey, que eu adorei definitivamente, porém é basicamente uma adaptação escrita do que se passou com ela durante o filme O Despertar da Força. Fiquei um tanto decepcionada, já que esperava muito mais sobre o background da guria e não simplesmente ler exatamente o que assisti no filme. -q

Ainda assim, é maravilhoso poder ler mais sobre os personagens desse filme. Eles são cativantes e acabamos nos apegando muito a eles, não é Fah?

3/5 estrelas porque ele tentou – em vão – destruir minhas teorias filiais da Rey e porque não acrescentou muito na história que já vi no filme.

O Senhor da Chuva

19. O Senhor da Chuva

O Senhor da Chuva foi o livro escolhido para o item 19. Um livro nacional.

Meu relacionamento com André Vianco se iniciou em um belo dia há muitos anos quando o site Submarino fez uma promoção relâmpago em que TODOS os livros do Vianco estavam a venda por um preço módico de R$ 100,00. (Bons tempos aqueles…)

Sabia que ele escrevia sobre vampiros, amava vampiros, então pensei que seria um daqueles momentos WIN-WIN. Eu conseguiria livros novos de vampiros, o autor brasileiro entraria para o rol de autores que eu curtia e ainda economizaria horrores, já que o Vianco escreveu uma porrada de livro.

O que eu não podia imaginar é que eu não gostaria do estilo de escrita dele.

Comecei lendo pelo clássico Os Sete e depois ainda empurrei O Sétimo goela abaixo. Infelizmente não consigo dizer que sou fã do estilo dele, ou dos personagens, ou da história em si.

Ainda acho o máximo que ele situe todos os seus livros em nosso Brasil varonil, talvez tentando criar uma lore que é tão – relativamente – fraca em questões de seres sobrenaturais clássicos.

De qualquer forma, voltemos ao livro em questão.

O Senhor da Chuva se passa em uma pequena cidade chamada Belo Verde e gira em torno dos gêmeos Samuel e Gregório. Samuel permaneceu em Belo Verde, tornando-se fazendeiro e herdando as terras da família, enquanto Gregório foi para São Paulo onde acabou se envolvendo com o tráfico.

E também revolve em torno de uma batalha obscura travada entre anjos e demônios desde o início dos tempos.

Vianco poderia ter escrito um livro sensacional, mostrando todo um lado mais “real e humano” dos seres sobrenaturais de que trata no livro, mas em minha opinião falha miseravelmente.

Ele repete a descrição dos anjos e demônios por parágrafos seguidos em páginas sem conta e se perde em relação a caracterização de ambos.

Enquanto os anjos são mostrados como seres de forma humana de 3 metros de altura, pele acobreada e asas branco-prateadas, os demônios são retratados como seres horrendos, geralmente em forma animal sendo os cães seu tipo de demônio favorito. (q) Em uma página os cães demoníacos são fruto da escuridão e em outra servem a Luz. Em um momento eles caem e se tornam fumaça, morrem e tornam-se enxofre, para no outro explodirem em mil pedaços. Morrer pelas garras satânicas geram novos demônios, e depois diz que a mordida de um demônio cria vampiros.

Ainda não sei dizer se a batalha travada entre os dois exércitos era pelas almas humanas ou por seus corpos.

É um livro confuso, repetitivo e cansativo. E o final foi absolutamente deus-EX e desnecessário.

1/5 estrelas (porque não tem como dar menos estrelas).